quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Ah, Ser Humano!



                                                Gosto de ver. E rir. Vez por outra circulam textos na internet, em que, alguém, com pouca ou nenhuma estima per si, mas muita criatividade transpira através de sua oralidade escrita algumas preciosidades.
O ultimo que recebi, dizia que era de Christian Prior, e o que ele pensa dos relacionamentos.  O autor, de fato, deveria se valorizar mais. Mesmo que não tenha sido através de suas experienciações, muito faz sentido. Senão vamos analisar juntos:
                                                   Sempre penso que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.  É-me ruim, quando escuto: 'Ah, terminei o namoro...'. 'Nossa quanto tempo?' 'Cinco anos... Mas não deu certo... Acabou’.  É não deu...' Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Hoje, no alto dos meus anos, vividos, e tiozão, não acredito muito nos 'opostos se atraem'. É outra crendice que nos “enfiaram goela abaixo”. Mentira. Porque sempre uma parte vai ceder muito e se adaptar demais.
E sempre esta é a parte mais insatisfeita.  Acredito mais em quem tem interesses e comum. Quanto mais igual melhor.
Se você adora dançar valsas, melhor namorar quem também gosta; se você gosta de cultura italiana, melhor alguém que também goste.
 Frequentar lugares que você gosta ajuda a encontrar pessoas com interesses parecidos com os teus.
 A extrovertida e o caretão antissocial (sim, agora sem hífen e dobra a consoante), é complicado e depois, entra naquela questão de 'um querer mudar o outro, aiii... '. Pessoas mudam quando querem. E porque querem. E pronto. E demora! Cama é essencial! Se vocês estiverem muito cansados, sim.  Aliás, pele é fundamental. E têm gente que é mais sexual, outras que são mais tranquilas. (sem trema, por favor).
 O garanhão insaciável e donzela sensível acham um pouco estranho. O contrário, bem, da mesma forma. Isto causa muitas frustrações e dá-lhe livros de autoajuda (agora sem hífen) sobre sexo. E, é claro, nada de essência. Assim como outras coisas, cada um tem um perfil sexual. Cheiro, fantasias, beijo, manias, quanto mais sintonia, melhor.
Difícil acreditar “em pessoas que ‘se complementam”. Acredito em pessoas que se somam. Se necessitar de complemento, obviamente ta faltando algo.  Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, Como, então, cobrar cem por cento do outro?  E não temos esta coisa completa. Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
 Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.  Às vezes ele é malhado, mas não é sensível.
 Tudo nós não temos. Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele. Pele é um bicho traiçoeiro.
 Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.  E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...  Acho que o beijo é importante... E se o beijo bate... Joga-se... Senão bate... Mais um Martini, por favor... E vá dar uma volta. Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.  O outro tem o direito de não te querer.  Não lute, não ligue, não dê show. Tem maneiras mais barata de chamar a atenção. Se a pessoa tem dúvidas, problema dela caberá a você esperar ou não.
 Existe gente que precisa da ausência para querer a presença. É um falso iludir-se. (redundante, mas somente assim alguns seres compreendem).  O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos Mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta. Mesmo que não acredite em retomada. É outra ilusão. Acabou o encantamento, acabou tudo. Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, pressão de família, choros, socos na porta do banheiro?  O legal é alguém que está com você e por você. Assim, como você é.  E vice-versa.  Não fique com alguém por “peninha” também. Isso é sadismo. E da pior espécie. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.  Tem gente que pula de um romance para o outro.  Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.  Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora outro ser, outro mundo e outro universo.  E nem sempre as coisas saem como você quer...  A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.  Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.  Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias.  E nem todo sexo bom é para namorar.  Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.  Nem todo beijo é para romancear.  Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar. Enfim... Quem disse que ser adulto é fácil?
E pensar... Isso sim, não dói. Acredite.

 Inspirado em Heloisa - Branwen - Gambin - TOO - PR.
Das experienciações e percepções de Protheus.