quarta-feira, 19 de julho de 2017

" Desafios...!"

 #PensarNaoDoi

Desafios...

                                      

“... Não é o desafio que define quem somos
nem o que somos capazes de ser, mas como
enfrentamos esse desafio: podemos incendiar
as ruínas ou construir, através delas e passo
a passo um caminho que nos leve à liberdade...!”

Richard Bach

Primeiro era o ruído. Um berro nos nossos ouvidos, estrondo, rugir, água forte rolando. A expectativa vinha lenta, esgarçada nos tons suaves da tarde, infiltrando-se em nossos olhos quase que misericordiosos. Era vagarosa a expectativa, certa criança rolando em manhã de maio, fruta exalando cheiro de muito longe.
Depois o ruído crescia. Vinha se despejando forte, batia estúpido na nossa cabeça, doía, tentava. Crescia a angústia, o desejo, o medo, a visão clara do proibido anseio. E era aquele desejo longo, envolvente como abraço, macios dedos estendidos para nossos rostos indóceis, para nossos músculos tensos, para a nossa esperança crescente e incrédula.
                              

Mais tarde, ainda, as pequenas flores das margens, jogadas com força contra os barrancos, e aquela sensação de angústia, a solidão das flores, o seu desamparo que era o nosso desamparo, sua fragilidade que era a nossa. Galhos, seguravam-se em nossos cabelos, ficava o mistério do medo, o mistério do escuro,
E nós tateávamos o escuro, o medo, as pedras sob nossos pés, as cores irisadas, as formas, as pernas recebendo aos poucos o impacto da água gelada, os olhos engolfando-se no todo incrível do mundo novo, da aventura, da descoberta.

                                    
Agora já era esse todo, flores e pedras, barro e limo, água rolando rápida e à nossa frente, indescritível, imensa, grande borboleta de asas abertas para nossos pequenos sonhos, a cachoeira com seus braços cheios de água despejando-se do alto. Nós parávamos e ficávamos mudos. A espera já tinha se derramado por nossos ombros, estirado por nossos olhos, e nós queríamos tocar a água, sentir o frio escorrer por nossos rostos, nosso cabelo empapado, visão de poder e da maturidade sendo criada no desafio à natureza.
E nós desafiávamos água funda e mães, estrépito e adultos, com o mesmo despudor, cabeça levantada alto, riso torto na boca. Nos desafiávamos o mundo sob a cachoeira. Nós podíamos mais. O mundo estava ali, resumido no ruído, nas flores, nas pedras, na água, e era nosso. Contra todos, contra tudo que havia sido dito, escrito, recomendado. Era nosso.
                                       
Um mundo feito de sensações, de cores, de formas, de insetos, de flores, de reflexos, de sombras se criando e se desfazendo,
Perfeito e inalcançado, tão distante e tão próximo, desafio mudo a todas as nossas expectativas. Como hoje. Quanto eu me embrenho fundo no escuro e também faço o meu desafio, e também lanço o meu grito, meu gesto de desapego ao certo e ao fácil. Quando eu me lanço nessa cachoeira, expectante efluída, e esqueço que nunca soube nadar....

Pensar não dói..., Mas, desafios esperam-nos... 

Serenos e calmos...





Entendimentos & Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Transpirado de Crônicas Ontológicas/RS-1980
Maria Clara Pinho
Publicado originalmente em 
https://www.revistadoutrina.com
E no Grupo Kasal – Konvenios – Vitório – ES – 
http://www.konvenios.com.br/info/Artigos.aspx?codAutor=117
Arquivos da Sala de Protheus

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Janelas edo Brasil - XVI -

#AcordaBrasil:


" Somos Acomodados...?"

                          

...Somos realmente um povo bom de bola. 
Sabemos tudo sobre futebol... 
Mas cá entre nós;
vamos ser ruins de voto, assim, lá no inferno!


Demétrio Sena - Magé - RJ - 


"A voz rouca que incomoda os imorais e manipuladores", traz um exemplo para o Brasil da mesma época:
Em 1970 o Brasil descia a ladeira na Educação... 
A Finlândia começava sua subida fantástica.

Marisa traz, de sua ultima viagem, dois exemplos do que a FALTA DE EDUCAÇÃO fez com o Brasilês...

Pensar e escutar Marisa Cruz... Não dói!
Por um NOVO BRASIL!



Entendimentos & Compreensões
Janelas do Brasil -
Criação e voz de Marisa Cruz
São Paulo - SP -
 Arquivos exclusivos da Sala de Protheus.


Obs:. 
TODAS as Publicações e Opiniões na
Sala de Protheus são de inteira
RESPONSABILIDADE de seus autores!

O Editor!

domingo, 9 de julho de 2017

" A Destruição da Alma Brasileira!"

 #Cidadania:


A Destruição da Alma Brasileira!
                                                     
“....A alma mais forte e mais bem constituída
é aquela que os sucessos não orgulham e
que não se abate com os revezes...!”

Plutarco


O brasileiro está se tornando mestre na arte da dissimulação. 
Nada é o que parece, como o cônjuge traidor flagrado em ato sexual com a amante: “Posso explicar, não é o que você está pensando”, tenta, assim, enganar a esposa traída.

A moça cai na balada, sem hora para voltar, engravida de um desconhecido e justifica que não sabia onde estava com a cabeça.
“Não sei o que deu em mim”, lamenta. E eu vou lá saber?
O sujeito acabou de assassinar o rival, é preso em flagrante e diz ao delegado:

“Doutor, se eu não tivesse feito o que fiz, não sei do que seria capaz!”.
O marido espanca a mulher todos os dias, ou de vez em quando, tanto faz, e culpa a carestia ou a bebida por seus atos:

“A vida está difícil, tudo subindo”, explica, ou diz que bebeu demais por causa dos problemas e perdeu a cabeça, mas quem perdeu a cabeça, ou uma parte dela, foi a vítima.

                               

O corrupto desvia a merenda escolar, a comida dos presos, os remédios dos hospitais, os recursos do saneamento básico, a tornozeleira eletrônica, o Bolsa-Família, o dinheiro das obras e da segurança pública, mas diz que caiu em tentação e pede a Deus para livrá-lo de todo mal, amém!
Agora, flagrados com o papelão na linguiça e as difusoras de porco na carne, têm a ousadia de dizer que a Polícia Federal está a serviço dos Estados Unidos.

“Não é o que você está pensando”, diz, enganando o povo brasileiro, como faz o cônjuge flagrado em meio à fornicação, só que com a cabeça do porco na mão pensando que é um microfone.
                                                 
A necessidade ininterrupta de mentir e de evitar a verdade, mostra Theodore Dalrymple, retira de todos aquilo que Custine (marquês de Custine, francês que escreveu La Russie em 1839, publicado em 1843) chamou de “os dois maiores dons de Deus – a alma e o verbo que comunica”, tornando as pessoas “hipócritas, maliciosas, desconfiadas, cínicas, silenciosas, cruéis e indiferentes ao destino de outros como resultado da destruição de suas próprias almas”.

E você?
Qual sua “des...Cupa”?
Para Miguel... Pensar não dói...

Amar o Brasil.... Menos ainda!




Entendimentos & Compreensões
Miguel Lucena – 
Escritor, Jornalista
E Delegado de Polícia – 
Brasília – DF –
No Twitter - @poetamiguezim 
Arquivos da Sala de Protheus

Obs.:
Todas as publicações da Sala de Protheus
são de inteira responsabilidade de seus autores"
O Editor!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

" Religião & Espiritualidade!"

 #PensarNaoDoi:


Religião & Espiritualidade!
                                 

“Religião inventa...
A espiritualidade descobre”

Aprendemos, já na escola que religião não se discute. 
Bem, isso foi, literalmente, no século passado.
Hoje e cada vez mais descobrimos e percebemos que religião precisa ser discutida à luz da razão.
Já a espiritualidade é tua fé... A tua crença... A tua visão do todo. E esta não se discute de forma alguma. Por respeito ao outro e sua própria evolução.
Para ilustrar essa visão busquei uma opinião, que mesmo no início do século passado já era inovadora e evoluida. Do grande teólogo Chardin.
Deixou-nos dito poética e quase cientificamente:
                               

"A religião não é apenas uma, são centenas.
A espiritualidade é apenas uma.
A religião é para os que dormem.
A espiritualidade é para os que estão despertos.
A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados.
A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.
A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.
A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.
A religião ameaça e amedronta.
A espiritualidade lhe dá Paz Interior.
A religião fala de pecado e de culpa.
A espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro"..
A religião reprime tudo, te faz falso.
A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!
A religião não é Deus.
A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.
A religião inventa.
A espiritualidade descobre.
A religião não indaga nem questiona.
A espiritualidade questiona tudo.
A religião é humana, é uma organização com regras.
A espiritualidade é Divina, sem regras.
A religião é causa de divisões.
A espiritualidade é causa de União.
A religião lhe busca para que acredite.
A espiritualidade você tem que buscá-la.
A religião segue os preceitos de um livro sagrado.
A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.
A religião se alimenta do medo.
A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.
A religião faz viver no pensamento.
A espiritualidade faz Viver na Consciência..
A religião se ocupa com fazer.
A espiritualidade se ocupa com Ser.
A religião alimenta o ego.
A espiritualidade nos faz Transcender.
A religião nos faz renunciar ao mundo.
A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.
A religião é adoração.
A espiritualidade é Meditação.
A religião sonha com a glória e com o paraíso.
A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.
A religião vive no passado e no futuro.
A espiritualidade vive no presente.
A religião enclausura nossa memória.
A espiritualidade liberta nossa Consciência.
A religião crê na vida eterna.
A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.
A religião promete para depois da morte.
A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.
                                      

"Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual...
Somos seres espirituais passando por uma experiência humana..."


Pensar e discutir religião.... Não dói!
Mas preciso haver muita fé para isso.
A propósito:
Não tenho rótulos... Tenho conteúdo!




Entendimentos & Compreensões
Autor original do texto citado:
Pierre Teilhard de Chardin 
Orcines, França.
Padre jesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogo francês 
Arquivos da Sala de Protheus

sábado, 1 de julho de 2017

"Uma Mentira Literária!"

 #SOSEducacao:

Uma Mentira Literária!

                                              

“... A verdadeira mentira é, pois, com todo
rigor e justeza da expressão, a ignorância
que afeta a alma do que foi enganado...!”

Sócrates

Um trecho da biografia de Clarice Lispector, escrito por Benjamin Moser, em que relata assédio abusivo do ex-presidente Jânio Quadros sobre a famosa escritora, em 1962, numa residência do Rio de Janeiro, foi classificado como “irresponsabilidade literária” e “infelicidade absoluta” pelo professor universitário, jornalista e escritor Nelson Valente, o maior conhecedor da vida do ex-presidente e político Jânio Quadros, sobre quem escreveu 28 livros.
Na página 361, Moser diz que Jânio, após proferir “interminável discurso na encantadora casa da Sra. Barbosa, convidou Clarice a quarto privado, onde se pôs a apalpá-la com tanto ardor que, na luta para afastá-lo, ela rasgou o vestido. Ofegante, Clarice saiu correndo do quarto e disse a Maria Bonomi que precisavam ir embora imediatamente, jogando o xale da amiga nos ombros, para cobrir o vestido rasgado. No caminho para a casa de Maria, uma ofensa final aguardava a aturdida laureada. Dentro de um envelope do prêmio, a recompensa em dinheiro: um total de vinte cruzeiros – por um livro que custava 980”. Em 1962, Jânio Quadros não era mais Presidente da República, mas Jango.
                                                    
Valente esclarece, provando com a agenda presidencial que me apresentou, que Jânio foi ao Rio somente em julho de 1961, para cerimônia no Museu de Arte Moderna com o presidente argentino Arturo Frondizi Ercoli, chegou atrasado e saiu atrasado, sempre acompanhado de Dona Eloá. Ele não esteve na residência de ninguém e retornou imediatamente a São Paulo, porque não suportava a companhia do então governador do Rio, Carlos Lacerda.
O trecho do livro seria uma cópia de outra história forjada em 1955, o famoso “Caso Diva”, quando Jânio era governador de São Paulo, narrada a seguir pela própria Diva, que em seguida se retrataria:
“No dia 3 de setembro de 1955, por volta das 15h, fui procurar o sr. governador. Após ser introduzida em seu gabinete, para pleitear a readmissão no Departamento de Saúde, fui informada que minha pretensão seria atendida. Nessa oportunidade, notei que o sr. Jânio Quadros, pela maneira de fitar-me, não alimentava boas intenções. Ao mesmo tempo o sr. Jânio Quadros, visivelmente transtornado, se aproximava de mim, abraçando-me, rasgando minha roupa e estava muito ofegante! Diante de minha recusa, o sr. Jânio Quadros, desapontado, conduziu-me a sua mesa, onde teve esta expressão:
- Foi melhor Diva.... Foi melhor você ter-me resistido.
                                         

Nunca mais fui readmitida em seu Gabinete para que pudesse defender os meus direitos”.
Jânio Quadros, segundo Valente, reiteradas vezes perguntava:
- A quem aproveita esse crime?
Diva, após um longo tempo, trazia consigo uma pasta de papéis e passou a lê-los. Era uma retratação por inteira, escrita, assinada, com testemunhas.
Ela dizia que o indivíduo Arnaldo Alves Ferreira a incentiva a ofender a reputação de Jânio. Diva declarou estar arrependida do que havia feito.
“Assim terminava a mais horrível campanha já presenciada pelo povo paulista, em toda a vida política do Estado”, destaca Nelson Valente.
O professor arremata que Jânio foi muito perseguido porque, ao assumir a Presidência do Brasil, começou a instaurar investigações para acabar esquemas que haviam sido montados por Juscelino Kubistchek na Petrobrás, Companhia Siderúrgica Nacional e companhias estatais, com desfechos que seriam semelhantes aos alcançados hoje pela Operação Lava-jato. Por coincidência, a Odebrecht já operava na Petrobras, onde começou a ganhar rios de dinheiro em 1954, um ano após a fundação da estatal, com o contrato para a construção do oleoduto Catu-Candeias, de cerca de 80 km, e que levava o óleo extraído do campo de Catu para a refinaria de Mataripe.
                                        
Essa parceria será fundamental para a expansão e consolidação em nível nacional da empresa. De fato, com o sucesso da obra, forma-se uma espécie de parceria entre a Petrobrás e Odebrecht, que já dura quase 63 anos, incluindo obras como construção e montagem de refinarias, plataformas marítimas, estações de tratamento de águas, laboratórios, instalações de apoio, pontes, canais, barragens, armazéns, casa de força, dragagens, residências, clubes, estradas, edificações, portos e a perfuração de 140 poços no mar.
Eis a história do Brasil que não conhece o Brasil...




Entendimentos & Compreensões
Miguel Lucena –   Escritor, Jornalista
E Delegado de Polícia - Brasília- DF – 
Miguel, faz referência ao novo Lançamento 
do professor e escritor Nelson Valente
Sobre a Biografia de Jânio Quadros. 
Já lançado no Brasil.
Publicado originalmente no Grupo Kasal
Konvenios – Vitória – ES – 
http://www.konvenios.com.br/info/Artigos.aspx?codAutor=117
Arquivos da Sala de Protheus

quarta-feira, 28 de junho de 2017

"A Precária Formação Docente!"


#SOSEducacao:

A Precária Formação Docente!
                                   

“... Já tive muitos professores que não
eram professores, afinal só se é
professor quando se ensina...!”

Arthur Leite


Os países com melhores resultados na educação, como é o caso da Finlândia, Cingapura e Coreia, conseguem atrair os melhores profissionais para a carreira docente. 
O Brasil está longe dessa meta.
Sou do tempo em que o professor colocava no quadro-negro a giz os seus conhecimentos, para facilitar o trabalho de cópia dos seus alunos. Quanto tempo perdido!
 Hoje, há como que uma linguagem teatral, nessa relação, o que anima o interesse pela aprendizagem. Existe a disseminação do que chamamos de “artistas-docentes” ou até há pouco “animadores culturais”.
Os cursos de Pedagogia permanecem os mesmos, com currículos esclerosados, enquanto o mundo desenvolvido se abre para as potencialidades do que se chama inovação.
                                            
A questão precária formação docente se reflete diretamente na má qualidade do ensino. E isso não se resolve somente com o (justo) aumento de salários. Apesar de não termos respostas adequadas, enquanto não há mudança nos cursos de formação de professores e no currículo, é preciso fazer algo pelas crianças que estão em sala de aula hoje.
O problema de aprendizagem é muito mais complexo do que oferecer apostilas padronizadas. Esse equívoco é agravado pelo fato de que, por aqui, orientações pouco claras sobre o que e como ensinar e acabam caindo nas mãos de professores muitas vezes malformados. É preciso ensinar o professor a caminhar sozinho. Se não tiver uma atualização permanente (e haja tempo para isso), o professor perderá a batalha da eficiência. Precisamos acordar para a realização de uma ampla reforma, dosada de inteligência pela experiência da inovação.
                                   

O que parece estar evidente, na sociedade brasileira, é o cansaço do atual modelo de educação e na formação de professores. 
Em quantidade e qualidade não responde aos nossos anseios. 
Até quando?
Pensar não dói.... Já a arte de ensinar é para poucos.

Muito poucos...




Entendimentos & Compreensões
Convidado da Sala de Protheus
Das pesquisas e do Pensamento do
Professor, Escritor e Jornalista 
Nelson Valente –
Blumenau –SC – 
Publicado originalmente no Grupo Kasal
Konvenios – Vitória – ES – 
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28935
Arquivos da Sala de Protheus


domingo, 25 de junho de 2017

" Livra-me Senhor!"

#Sentimentos:
“ Livra-me Senhor! ”
                                

"Você tem que estar preparado 

para se queimar em sua própria 
chama: como se renovar sem 
primeiro se tornar cinzas?"



Nietzsche - Assim falou Zaratrustra –

Esse é um Salmo de Davi. É um Salmo de Libertação.
Tomei a liberdade de transformá-lo poeticamente na minha oração. Seja qual for sua religião ou mesmo que não a tenha se nesse momento precisa de "Libertação" de muitas que são as nossas prisões existenciais e até concretas nas lutas diárias da vida, que esse poema seja sua oração Aquele que ouve todas as orações.
 

Te clamo ó Senhor
Minha voz é um grito
E suplico
Diante de Ti esmagada
estou
Diante de Ti derramo
o cálice da minha aflição
Dentro de mim
já desmoronou meu espírito
nada sobrou
Então Tu me contemplas
No meu caminho
ocultaram um laço
de maldade, de destruição
de inveja, de mentiras
agressões.
Fui enlaçada e caída estou
olho ao meu redor e estou só
Não há refúgio
E quem se importa? Quem me vê?
Então clamo a Ti
Ouve meu fio de voz
Tu és minha esperança
O Refúgio
Meu tesouro na vida.
Ouve-me Senhor
os destruidores são mais fortes que eu
Livra-me da prisão que me encerram
Então te Louvarei
Na presença dos anjos e dos homens
E os teus filhos estarão comigo
Porque Tua Bondade de visitou
E Tu me ouvindo
Me acolheu e me fez Bem.


Pensar não dói.... Já nossos sentimentos...
Gratidão Candida com Bênçãos em teu coração...





Entendimentos & Compreensões
Das percepções de 
Candida Maria Ferreira da Silva
Inspirada no Salmo 142
Assistente social, teóloga, 
especialista em Infância e 
Violência doméstica pela UFF, 
palestrante. Rio de Janeiro - RJ
Contatos: 
candida215@hotmail com
Pagina no facebook: 
https://www.facebook.com/abusoemocionalstop/
Twitter:
https://twitter.com/silvacandida201
Instragram: https://www.instagram.com/abusoemocionalstop/?hl=pt-br



Obs.:
Todas as publicações, na Sala de Protheus,
são de inteira responsabilidade de seus autores,
O Editor!

sexta-feira, 23 de junho de 2017

A Doença da Desatenção!

 #PensarNaoDoi:

A Doença da Desatenção!
                                           
“... A indiferença alheia, resulta em 
minha desatenção e consequentemente 
no desinteresse...!” 
Renê Fernandes Dantas

A cura da chamada doença da distração ou da desatenção não é tarefa simples e não depende da intervenção de médicos ou da ingestão de remédios. A verdadeira causa desta falha psicológica não será eliminada com o aconselhamento profissional de quem padece do mesmo mal e não sabe como combatê-lo em si mesmo. Essa é uma das contradições da pedagogia e da psicologia moderna: o instrutor ou o aconselhador pretende ajudar a outros no enfrentamento de dificuldades pessoais sem antes tê-las superado em sua própria vida. Desta forma, transformando-se em simples transferência ao outro.
A desatenção é uma propensão mental proveniente do ócio e de abstrações estéreis. A rotina e o automatismo mental tornaram o ser humano distraído e desatento. A distração torna as pessoas ingênuas e inseguras; joguetes nas mãos de espertalhões. Talvez por isso, a cultura atual seja tão voltada para as distrações de todo gênero, o ócio e a inatividade mental. 
Ócio veio do latim Otium, "inatividade, ócio. E esta derivou autium, que se originou no indo-europeu. "estou bem, "vou bem", no sentido de ver que a humanidade se sente bem quando está de folga.
                                           

A atenção em tudo o que se faz sem o concurso da consciência é inoperante. No entanto, a consciência humana anda muito inativa, escondida, deprimida. Num mundo onde grandes mentiras são tidas como verdades, a ampliação da consciência fica impossibilitada, e a síndrome da distração alastra-se em proporções assustadoras.

Atenção esta ligado a obediência. Este divino ato de seguir as diretrizes das por alguém superior, que veio do latim Oboedire, "prestar atenção", a, escutar com seriedade, e ob, a, mais audire, escutar.

Tempo é dinheiro. Ter é poder. Onde falta dinheiro, falta felicidade. Essas são algumas das inúmeras faces da Grande Mentira que comprou a alma humana para sacrificá-la como o diabo descrito por Goethe. O mecanismo da atenção deve ser regido pela consciência e não por remédios, tratamentos ou aconselhamento espiritual duvidoso.
O que significa ser inteligente? 
Do latim Intelligentia, de Intelligere, "discernir, compreender, entender, formado por "Inter", entre, mais Legere, "escolher, separar. No seculo XV passou a abranger "informações obtidas por meio sigiloso,.
A inteligência pressupõe o exercício de diversas funções mentais que podem se complementar em mútua colaboração: recordar, observar, refletir, pensar, julgar, raciocinar, imaginar, combinar. A inteligência é a faculdade maior que se resume no funcionamento harmônico das mencionadas para o bem e superação do indivíduo, o que, em geral, não acontece.                
                                    
A cultura convencional que recebemos de nossos antepassados está voltada, quase que exclusivamente, para a utilização da memória e da imaginação. Nas escolas as crianças são massacradas com uma infinidade de informações que devem ser memorizadas em detrimento das outras funções. Essa memorização absurda será necessária para o vestibular que exigirá do jovem um enciclopedismo inútil. 
O entendimento não desenvolvido faz com que a pessoa aceite, passiva e ingenuamente, versões absurdas sobre a realidade, fantasias de toda a índole que se opõem à verdade, acorrentando o espírito, potencialmente inteligente, no claustro de crenças absurdas. O desenvolvimento da inteligência exige o adestramento da observação, do juízo, da razão, do entendimento, do pensar. O ser humano não pode se transformar num papagaio repetidor de falas criadas por outros, nem em um ser que vive a imaginar coisas que nunca realiza. A inteligência deve ser desenvolvida na realização das principais tarefas de sua vida: evoluir e colaborar com as outras pessoas nesse sentido. Ser inteligente implica ser humano, saber conviver com as pessoas, buscar e ir encontrando a felicidade através da vida. 
A inteligência é um dom divino que todos recebemos ao nascer para este mundo e pode ser desenvolvida. Máquina alguma haverá de substituir essa capacidade cognoscitiva e criativa que todos têm e que, aliada ao sentir, poderá levá-los a condições cada vez mais humanas.
                                  
Para conhecer e se aproximar do Criador é lógico e necessário que se conheça a parte da Criação que mais está ao nosso alcance, ou seja, nós mesmos, e que se experimente as alternativas evolutivas que nos foram concedidas através de um processo conscientemente realizado.
Ser mais inteligente significa ser mais humano, interessar-se pelo próprio futuro e o dos demais, estar atento a quanto ocorre na própria vida, no dia-a-dia, com o intuito de aperfeiçoar a conduta e facilitar a convivência com as outras pessoas. 
Pensar não dói.... Já ser desatento...




Entendimentos &Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Transpirado das obras de
Nagib A. Neto
Engenheiro Civil e Escritor
São Paulo – SP
Postado originalmente no Grupo Kasal –
Konvenios – Vitória – ES –
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28924
Arquivos da Sala de Protheus

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Estado de Ocultação, Mentira e Fingimento!


 
Estado de Ocultação, Mentira 
e Fingimento!

                                                     

“Nenhum homem, por nenhum período 
considerável, pode vestir uma cara para si 
mesmo e outra para a multidão, sem que, finalmente, venha a se confundir completamente 
sobre qual delas talvez seja a verdadeira.” 


Mark Schwah

Posso desagradar muita gente, mas tenho a convicção de que, numa sociedade de falsos-selves (plural de self= egos), como a nossa, a saída está em dizer a verdade, mesmo que doa.
O falso-self, no singular, ou falso-selves, no plural, dizem respeito a uma vida de aparências e fingimento, ocultação e mentiras, decorrentes de traumas relacionados ao rigor em excesso ou ao abandono na primeira infância, como nos ensina o inglês Donald Woods Winnicott.
A primeira impressão que tenho, após anos de experiência no jornalismo e em delegacias, é que todos, dos mais simples aos mais graduados, temem a verdade.
                                                       
Não se pode julgar, por exemplo, a escolha errada feita por uma mulher, aconselhando-a a largar de imediato o homem violento. Ao Estado cabe a neutralidade, agindo no efeito sem mexer na causa, pois só assim a roda gira e todos continuam se alimentando da miséria alheia.
O Estado se intromete o tempo inteiro na vida dos indivíduos, mas em questões sensíveis faz cara de pena e não intervém decisivamente, prendendo o agressor contumaz e impedindo-o de se aproximar da mulher e dos filhos, independentemente da vontade da agredida. Muitas mortes poderiam ser evitadas.
O sádico jura na frente da juíza que vai se regenerar – e os assistentes sociais acreditam no coitadinho -, até que é feita a reconciliação e certo dia o criminoso enfia a cabeça da mãe de família no forno do fogão. E o problema só aumenta, porque, a partir daí os filhos ficam sem pai nem mãe.
Com as honrosas exceções dos padrastos que assumem os filhos da companheira após uma aproximação e enlace normais, o que se vê são casos e mais casos de abusos sexuais cometidos por homens que chegam nos lares sem mais nem menos, da noite para o dia, do bar direto para a cama, e alguns fazem cara de nojo quando alguém, como eu, denuncia essa catástrofe.

                                        
Andei contando os fatos mostrados no programa de José Luiz Datena/'Brasil Urgente', na Rede Band, de São Paulo, e constatei que dois a três casos de abuso sexual infantil são apresentados diariamente. As estatísticas mostram que, no Distrito Federal, 70% dos abusos ocorrem dentro de casa.
O psiquiatra Theodore Dalrymple, cujo nome verdadeiro é Anthony Daniels, autor de A vida na Sarjeta, defronta-se com a mesma situação nos subúrbios ingleses. Ele diz que os mesmos homens cujas dores crônicas nas costas lhes impedem, para sempre, de arranjar um emprego, recebendo aposentadorias por invalidez, não perdem uma briga de bar.
“Como no Brasil, alguns poucos moradores se refugiam nas igrejas – os “crentes”, tolerados pelos traficantes e bandidos de toda cepa, desde que fiquem na sua. A maior parte das crianças não tem pai; os padrastos se substituem com rapidez e normalmente batem nas mães. Muitas das pacientes são vítimas seriais de agressão doméstica. São raríssimos os casos em que não era evidente que o sujeito era violento antes mesmo do relacionamento”, assinala.
Mesmo assim, tal comportamento é tolerado por elas, que repetidamente pedem para que ele não faça nenhum tipo de denúncia, porque afinal o agressor agora vai mudar…
“A verdade é que a maioria (embora nem todas) das mulheres espancadas contribuiu para essa situação infeliz pela maneira como resolveram viver”, lamenta o psiquiatra e escritor.
                                               
Não é apenas o machismo que oprime as mulheres, são as crianças negligenciadas que, mais tarde, viram opressores e oprimidos, porque, sem lastros que as sustentem, crescem inseguras, fingidas e violentas. E nessa causa, que custa caro e não dá votos nem oportunidades de roubar, o Estado não mete a colher.
Para Miguel, pensar não dói....
E você?




Entendimentos & Compreensões
Miguel Lucena – 
Escritor, Jornalista
E Delegado de Polícia 
Brasília - DF - 
No Twitter - @poetamiguezim
No Face Book - https://www.facebook.com/miguel.lucenafilho
Publicado originalmente no grupo Kasal – 
Konvenios – Vitória – ES – 
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28916#.WUp_oGgrKyI
Arquivos da Sala de Protheus!

Obs.:
Todas as PUBLICAÇÕES e OPINIÕES 
na Sala e Protheus são e Inteira
Responsabilidade de seus autores!


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Brasil – Símbolo de Perda de Tempo e Enganação!

#Cidadania:
Brasil!

 -Símbolo de Perda de Tempo e Enganação- 

                                                  
“... Nem a arte nem a literatura têm de nos
dar lições de moral. Somos nós que temos
de nos salvar, e isso só é possível com uma
postura de cidadania ética, ainda que isto
possa soar antigo e anacrônico...!”

José Saramago 


O Brasil precisa propor-se moratória moral, concordata política, falência de qualquer ordem ou natureza.
Depois das denúncias de corrupção é um erro levantar a bandeira da ética e da moralidade. Nos dias de hoje, há uma descrença generalizada. Os escândalos no Congresso, as falcatruas no governo, a falta de lisura em alguns membros do Judiciário, tudo isso faz crer que a ética está em pane, promovendo a prevalência da tristemente famosa “Lei de Gerson” (a vida é dos espertos).
O presidente Temer e seu projeto de governo, estão presos a ásperas condições sociais e seus sonhos e de pouca relação com a realidade brasileira.
O presidente está em boa companhia, com relação a esse equívoco, pois os demais planos de governo (pelo menos os conhecidos) também parecem feitos para um país que não é o nosso. O projeto do governo acabou virando um símbolo de perda de tempo e enganação.
                                               
Não adianta o PT se refazer. É preciso encontrar a “síndrome” causadora de atos de corrupção e de outras mazelas individualizadas, que não adianta tratar isoladamente.
Não é tarefa para uma só pessoa, mas para a sociedade e especialmente a comunidade científica. Estamos perdendo uma imensa chance de colaborar com o Brasil e com o mundo.
É do tipo “não aprendi nada”, que diz à população: vocês tinham razão de esperar muito do PT porque nós somos a reserva moral da Nação. Houve um “probleminha” entre nós, mas continuamos sendo a reserva moral da Nação.
Essa “cegueira pessoal” pode ser solução imediata para o partido, mas a médio e longo prazo não funciona.
Não descarta a possibilidade de o grupo de petistas que assumiu a condução do partido nos últimos anos tenha chegado ao poder já com más intenções (mas exclui dessa turma o ex-presidente da República), não sendo apenas resultado da corrupção do poder.
O Brasil encontra-se frente a um desafio maior do que fazer uma faxina moral como propunha Tarso Genro (ex-governador do Rio Grande do Sul) e de novo um gaúcho se apresentava como “bastião da moralidade”.
                                           
Antes era um ex-guerrilheiro e até mesmo o ex-presidente da República, que construiu recentemente uma frase questionável lógica.
Lula havia dito, e sempre repete, que é filho de analfabetos, sofreu muito na infância, percorreu uma trajetória socialmente baixa até alcançar a Presidência da República, “logo” não há, no Brasil, pessoa mais ética do que ele.
Esse “logo” não liga nada a nada, a frase de Lula foi de “uma infelicidade absoluta”.
Nesse sentido, a queda de um partido que se comportou o tempo todo como um termômetro moral, uma bússola moral, foi atacado exatamente nesse ponto e se transformou em biruta (marcador de ventos naval) ao sabor das negociatas, coloca o País frente a duas possibilidades: quando o ex-ministro da Justiça, ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, quando assumiu interinamente a presidência do partido e seu primeiro discurso é sobre a faxina moral, é evidente que a sociedade espera que os corruptos, enganadores, manipuladores, que são muitos, sejam apenados conforme a lei; no entanto, ideologizar isso e novamente propor à Nação um projeto de pureza moral, é novamente criar ilusão.
Mas os resultados disso tudo.... Todos sabemos.... Agora, é claro!
O Brasil precisa apenas ler mais... Se informar mais e opinar menos sobre o que desconhece.
Afinal, pensar não dói... 



*
Nota do Editor:
Referência ao Jogador da Seleção Gerson que ficou famoso por um comercial de cigarros em que o slogan era:" (...) O negócio é levar vantagem em tudo, certo!"


Entendimentos & Compreensões
Leituras & Entendimentos da Madrugada
Das aulas de Nelson Valente
Professor, Jornalista e Escritor
Blumenau – SC –
Publicado originalmente no Grupo Kasal – 
Konvenios - Vitória – ES –
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28910 
Arquivos da Sala de Protheus

sábado, 17 de junho de 2017

" Um Estado Obeso.... E Ineficaz!"

#Cidadania:

Um Estado Obeso... E Ineficaz!

                                                      

“.... Quem diz que voto nulo é ineficaz mostra
a sua submissão e omissão...
Ou está feliz com a corrupção 
e impunidade...? ”


Somos um país grande? Geograficamente sim.
No restante estamos engatinhando em tudo.
Principalmente em cidadania.
Não somos um povo, ainda, por mais pacientes, ou passivos, generosos e sorridente, representamos uma cultura praticamente inanimada.
Fazem o que querem com nosso dinheiro, com nossos impostos... 
E nós?
Bem, nos queixamos ali, hora acolá... E assim seguimos em frente.
Para você que não sabe, não leu, ou nunca estudou ou se preocupou vamos lá:
Se você não gosta de números.... Bem, creio que vá gostar menos ainda com os que estão abaixo.
O Brasil é uma república federativa (Guardem este nome -FEDERATIVA) é formada pela união de 26 estados federados, divididos em 5 570 municípios, além do Distrito Federal. (Brasília que é nossa capital oficial)
E como funciona este gigante?

                                           
O Brasil tem 2.039.499 servidores públicos federais. Quase metade tem nível superior. No Poder Executivo, 46,5% têm diploma de graduação, 2,6% fizeram alguma especialização, 4,9% têm mestrado e 8,4% concluíram o doutorado. 
De acordo com o último boletim estatístico de pessoal do Ministério do Planejamento, de junho, (2015) 28,7% têm segundo grau, 4,7% têm apenas primeiro grau e 3,3% não terminaram nem o primeiro grau. 
Notem a ultima frase:
Os homens são maioria no serviço público. No Executivo, 54,5% dos servidores são do sexo masculino e 45,5% são mulheres. A idade média dos servidores ativos é de 46 anos. 
O Poder Executivo é o que mais emprega, com 1.872.802 servidores trabalhando em todos os órgãos da administração pública direta, autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e Banco Central, além dos militares. O Judiciário tem 130.989 servidores públicos e o Legislativo, 35.708. O Ministério Público da União, que não é ligado a nenhum dos Três Poderes, conta com 10.487 servidores.
                                         
Segundo os dados do ministério, a União gastou R$ 173,6 bilhões com os salários dos servidores de julho de 2009 a junho de 2010. Desse total, em torno de 75,8% foram gastos pelo Executivo, que conta com 91,8% dos servidores públicos. O Judiciário, que abriga 6,4% do funcionalismo, gastou aproximadamente 15% dos recursos que a União usa para pagar salários. O Legislativo foi responsável por outros 3,5% da despesa, apesar de ter 1,7% do total de servidores. O MPU, que tem aproximadamente 0,5% dos servidores públicos, usou 1,6% dos recursos gastos com salários nesse período. 
Considerando a média de salários de julho de 2009 a junho de 2010, 14,4% dos servidores públicos receberam pagamentos acima de R$ 8,5 mil e 1,2% ganharam menos de R$ 822,99 por mês. Em torno de 1,1% dos servidores receberam entre R$ 823 e R$ 1,3 mil por mês. Na faixa que recebeu de R$ 1.301 a R$ 3,5 mil por mês estão 47,1% dos servidores e 36,3% deles ganharam entre R$ 3.501 e R$ 8 mil.
Mas vamos um pouco mais adiante....
Em 2014, o Brasil tinha 6,5 milhões de servidores públicos municipais, um número 66,7% maior do que em 2001, quando eram 3,9 milhões. Os dados são do Perfil dos Estados e Municípios Brasileiros 2014.
Aqui não estão os números de todas as câmaras municipais, Assembleias Legislativas e nem do Congresso Federal e Câmara dos Deputados.
Estes são outros números.
Basta você multiplicar o número de cidades pelo número de vereadores e acrescentar no mínimo 5 pessoas por vereador.
Já os deputados estaduais podem nomear até 15 pessoas – cada um.
Os Federais até 25 pessoas mais um montante de 3 mil terceirizados.
Um Senador pode ter até 55 pessoas em cargos nomeados. O que faz com que o Senado tenha em média 6.113 funcionários – pelos últimos números do IBGE.
                                         
Você acha que somos grandes ou sofremos de obesidade mórbida com ineficiência completa?
Crê que temos tratamento?
Não é muita gente para fazer pouco?
As respostas deixo para você pensar antes das próximas eleições...
Afinal pensar ainda não dói...
Já sustentar um mamute pré-histórico.... Dói no bolso e na alma....




Entendimentos & Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Fontes:
ADESG
Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra
IBGE – Dados de 2015 (últimos dados oficiais)
Publicado originalmente no Grupo Kasal
Vitória – ES – 
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28900#.WUUuCmgrKyI
Arquivos da Sala de Protheus