sábado, 18 de abril de 2015

#PensarNaoDoi:

 “..Sua Alma...Sua Essência!”
- Fábula das Quatro Esposas –
 “ ...De todas as paixões, a que mais se esconde é a vaidade:
e se esconde de tal forma, que a si mesma se oculta, e ignora:
ainda as ações mais pias nascem muitas vezes de uma vaidade
mística, que quem a tem, não a conhece nem a distingue:
a satisfação própria que a alma recebe é como um espelho
em que nos vemos superiores aos mais homens pelo bem 
 que obramos, e nisso consiste a vaidade obrar o bem...!”.

Marthins Ayres –
Reflexões Sobre a Vaidade dos Homens –
Filósofo Brasilês -  1778

                                  Até o início do século passado, quando foi iniciada a fase, dita, contemporânea de nossa literatura, com grandes nomes como Cassiano Ricardo... As grandes “morais” ou pensamentos eram efetuados através de parábolas, aforismos... Temo-los em todas as fases da escrita ou manifestação do pensamento humano. Desde os gregos e os pré-socráticos, como em outras culturas.
                                  A nós, atualmente, a mais conhecida fonte de parábolas são os livros religiosos. Do caso cristão a Bíblia. E em todas as religiões os seus livros sagrados.
                                 Para explicar algo e se tornar compreensível, lembrado para serem passados como valores para próximas gerações, quase sempre os mais sábios, os mais velhos o faziam assim através de “pequenas historietas”, de parábolas, de fábulas.
                                 Utilizamos para nossos filhos enquanto pequeninos o Mundo das Fadas, duendes, Gnomos, Herois, Príncipes e Princesas, todos através de métodos que transfiram, de alguma forma, alguns costumes ou valores que são importantes para determinados grupos sociais.
                                A que trago hoje é exatamente um exemplo disso tudo.
Porém o “alvo” direcionado é o ser pensante... É a forma como se trata e como trata o meio em que vive.
Para isso trago-lhes da fábula: As Quatro Esposas:
Era uma vez um rei que tinha quatro esposas...
                                   Ele amava a 4ª esposa demais e vivia dando-lhe lindos presentes, joias e roupas caras. Ele dava-lhe de tudo e sempre do melhor...
                                      Ele também amava muito sua 3ª esposa e gostava de exibi-la aos reinados vizinhos. Contudo, ele tinha medo que um dia, ela o deixasse por outro rei...
                                     Ele também amava sua 2ª esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência. Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele confiava nela, para atravessar esses tempos de dificuldade...
                                       A 1ª esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo que estava ao seu alcance para manter o rei muito rico e poderoso, ele e o reino.
Mas... Ele não amava a 1ª esposa, e apesar dela o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela.
Ele pensou em toda a luxúria da sua vida e ponderou:
- É... Agora eu tenho 4 esposas comigo, mas quando eu morrer, eu ficarei sozinho.
Então, ele perguntou à 4ª esposa:
                                    Eu te amei tanto, querida. Cobri-te das mais finas roupas e joias. Mostrei o quanto eu te amava, cuidando bem de você. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?
- De jeito nenhum! - respondeu a 4ª esposa e saiu do quarto sem se quer olhar para trás. A resposta que ela deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca afiada.
                                    Tristemente o rei, então, perguntou à 3ª esposa:
- Eu também te amei tanto a vida inteira. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?
- Não! - respondeu a 3ª esposa. - A vida é boa demais!!! Quando você morrer, eu vou é... Casar de novo...
                                   O coração do rei sangrou e gelou de tanta dor... Ele perguntou, então, à 2ª esposa:
- Eu sempre recorri a você quando precisei de ajuda e você sempre esteve ao meu lado. Quando eu morrer você será capaz de morrer comigo, para me fazer companhia?
- Sinto muito, mas desta vez eu não posso fazer o que você me pede! - respondeu a 2ª esposa. - O máximo que eu posso fazer é enterrar você. Essa resposta veio como um trovão, na cabeça do rei, e ele ficou arrasado...
Daí, uma voz se fez ouvir:
- Eu partirei com você e o seguirei por onde você for...
                                   O rei levantou os olhos e lá estava a sua 1ª esposa, tão magrinha, tão mal nutrida, tão sofrida... Com o coração partido, o rei falou:
- Na verdade era eu quem deveria ter cuidado muito melhor de você, enquanto eu ainda podia...
É verdade, nós todos temos 4 esposas nas nossas vidas.
                                      Nossa 4ª esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços que fazemos para mantê-lo saudável e bonito, ele nos deixará, quando morrermos.
                                        Nossa 3ª esposa são as nossas posses, as nossas propriedades, as nossas riquezas. Quando morremos, tudo isso vai para os outros.
                                        Nossa 2ª esposa são nossa família e nossos amigos. Apesar de nos amarem muito e estarem sempre nos apoiando, o máximo que eles podem fazer é nos enterrar.
                                        E nossa 1ª esposa é a nossa ALMA... Muitas vezes deixada de lado por perseguirmos, durante a vida toda, a riqueza, o poder e os prazeres do nosso ego...
Apesar de tudo, nossa Alma é a única coisa que sempre irá conosco, não importa onde formos.
Então, cultive... Fortaleça... Bendiga... Enobreça... Sua alma agora!
É o maior presente que você pode dar ao mundo... Deixe-a brilhar!
                                        Como podem ver o alvo utilizado aqui é a relação do homem mulher, utilizado como “personagens” para chegar à essência da mensagem. Pois à época em que foi escrito o casamento “ainda” era algo muito sagrado.
Já hoje...
Pensem nisto... Não dói!

  

Entendimentos & Compreensões
Publicado nos Sítios:
www.konvenios.com.br/articulistas
www.pintoresfamosos.com.br/Crônicas
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Das Experiências vividas...