quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015



 
 
 
 
   Cheguei à Praia...
                                Desde minha primeira infância sempre fui “vidrado” nas coisas do mar e nos barcos, que nele vão. O barco que meu filho Túlio batizou, o “CASCA DE OVO” e que agora com seu nome rebatizo meu filho, viajou para “mares nunca dantes navegados”.
                                       E eu, que nos escolhos do naufrágio cheguei à praia, apenas acompanho na distância sua vela se “apagando no horizonte”.
Saudade
Fernando Pessoa
Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi e voou
E hoje é já outro dia.


Dos Sentimentos e do Coração
Do Escritor e do pai Antônio Figueiredo
São Paulo - SP -
 
 
 
Nota do Editor:
À Túlio Figueiredo.
Que esteja completamente na Luz.
Obrigado pelos exemplos deixados.
Homenagem da Sala de Protheus