domingo, 21 de dezembro de 2014

Nossos Verdadeiros Sábios!
- E Herois... - O Senhor Martins! –
 “... Para cultivar a sabedoria, é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas, nossa vida se complica. O impossível torna-se possível com a força de vontade...!”
Dalai Lama

 Quem são nossos heróis hoje? Quem são os homens sábios que admiramos tanto... E precisamos tal qual oxigênio? Onde eles estão?
Por que se escondem dos ignorantes que tanto necessitam dele? Em que era estamos vivendo mesmo? Por que estamos condenados a tanta ignorância e brutalidade... Quando no fundo apenas necessitamos de palavras sábias?
Esta bem. Estou fazendo perguntas demais enquanto tu, assim como eu, queres respostas mais rápidas... E que nos ajudem nesta caminhada.. E no Brasil parecendo tão difícil.... Tão íngreme... Com tantos obstáculos ao bem... Para nos testar? Talvez amigo... Apenas talvez.
O inicio questionador é para partilhar contigo algo que venho escutando a algum tempo de uma amiga iluminadíssima e muito querida falando de seu pai.
Claro, dou o desconto de uma filha que admira seu pai. Mas em cada diálogo nosso surgia, de repente, uma máxima referindo-se a seu pai.
Ela contava com uma alegria esfuziante que vinha do coração e dizia:
- Profe., Meu pai é incrível... Às vezes faz coisas que nos surpreendemos ainda...
 Dia destes, ele contou-nos que ao andar pela rua da cidade, alguém o interrompeu com muita educação (palavras dele) e dirigiu-lhe o seguinte questionamento: 
- Por que o senhor anda de cabeça baixa...
Ele, surpreso com a interrupção de sua caminhada habitual e pela pergunta,  simplesmente disse:
- Eu ando de cabeça baixa em respeito aos outros. Assim não lhes piso... E nunca interrompo suas jornadas.
O questionador emocionado satisfez-se com a resposta.
Ao narrar para seus filhos este velho sábio disse:
- Filha: Eu não poderia jamais dizer ao jovem que andava de cabeça baixa para não tropeçar e cair. Era simplesmente isso.
Explico: neste início de mês, aliás, o último do ano, o Senhor Martins completou 90 anos. Sim. Exatos noventa anos.. Um pouquinho menos de um século.
E parece, em cada narrativa de sua filha que Ele, tem que ficar mais tempo entre nós para ensinar-nos muito mais de toda a sabedoria depositada em espírito tão elevado.
Em cada diálogo com sua não menos sábia filha... Sempre me desconcerto com uma máxima do senhor Martins.
Ele caminha todos os dias, e vai aos mercados mais longínquos de sua amada Goiânia. Faz academia e sente-se mais jovens que os muitos jovens que conheço.
Em cada momento de dúvida de um de seus filhos ou netos lá esta o senhor Martins para dizer algo para cada um deles... Não respostas... Geralmente responde com perguntas que fazem seus interlocutores simplesmente pensarem um pouco mais.
A Amabilidade, a cortesia, a generosidade, o encantamento de vida deste senhor Martins é exemplo para cada um de nós brasileses ao nos defrontar com pequenos problemas e julgarmos eles insolúveis e não obtermos respostas.
Ao dizer isso, imagino o senhor Martins erguendo um pouco seu olhar como se procurasse a resposta certa e simplesmente devolver a pergunta:
- O que é problema para vocês?
- Quem sabe este problema não seja a solução que estejam procurando?
Aristóteles costumava afirmar: “... Não há nada na nossa inteligência que não tenha passado pelos sentidos...”
Para o senhor Martins em seus noventa anos muitíssimo bem vivido isso é natural.
Como precisamos de senhores Martins em momentos como o que estamos vivendo no Brasil.
Como necessitamos destes sábios seres para nos aconselhar... Para nos indicar, ao menos, um caminho menos sofredor... E se tiver algum obstáculo certamente o senhor Martins nos diria...
- Não ligue, faça como a água, ignore-o e contorne... Continue sua caminhada...
Neste período natalino praticamente três gerações estão se encontrando neste final de semana para uma comemoração especialíssima
Não por ser natal... Não pelos noventa anos do pai, esposo, avó e sábio de uma família inteira... Mas por tudo o que sabe... O que compartilhou com todos os que estiveram ao seu lado.
Benjamin Disraeli costumava ao refletir sobre isso dizer: “...O maior bem que se pode fazer pelo outro, não é compartilhar suas riquezas, mas lhe revelar a sua própria...!”
Ah, os sábios... Como necessitamos deles. Sentarmos aos seus pés e simplesmente dizer:
- Senhor Martins, por favor, nos conte tudo... Nós precisamos...
Fico aqui imaginando o semblante do senhor Martins... Um pequeno sorriso no canto da boca enquanto busca uma resposta simples que vá endereçar a mais questionamentos... Com isso imagino-o como o velho sábio ensinando jovens.
Como somos felizes e não percebemos nas pequenas coisas.
Por que complicamos o simples? 
Eis as complexas complexidades de o complexo ser, dito humano.
Concluo simplesmente dizendo:
Obrigado senhor Martins por estar todo esse tempo entre nós e partilhado de tanta sabedoria a fontes secas... Como estamos todos atualmente.
Que Ele em sua infinita misericórdia e generosidade, ao lhe dar tanto tempo entre nós, continue abençoando-o muito,
Nós simples mortais e ignorantes precisamos.
Obrigado senhor Martins por existir.
Obrigado por ter deixado como herança um legado de ética e generosidade e ser tão altruísta...
Obrigado por ter tido, entre nós, uma vida reta, fraterna e justa.
Este é o seu retrato... É a sua imagem que levaremos como exemplo de vida... Enquanto vivermos.
Senhor Martins é um heroi que tanto precisamos hoje... Obrigado!
Uma justa homenagem ao senhor Martins, em seus 90 anos de vida iluminada entre nós.
De Goiânia, Goiás, para o mundo.
Privilégio dos que estão ao teu lado sábio ser.

 
Entendimentos & Compreensões
De uma vida exemplar do Senhor Martins
Goiânia – Goiás –
Homenagem dos gaúchos a este incrível homem.