sábado, 6 de dezembro de 2014


Da Sensibilidade de
Antônio Figueiredo:

Perdão Foi Feito Pra Gente Pedir...

 


A música é minha paixão e companheira desde sempre. E não por acaso nas minhas crônicas frequentemente me utilizo delas porque é “sabedoria popular” pura. É a voz da alma. E é aqui que “pego emprestado” a alma mineira de Miraí de Ataulfo Alves... Perdão foi feito pra gente pedir.

Desde finais de Outubro estou acampado numa “reforma”, que estou fazendo no apartamento para o qual me mudei em São Paulo. Foi uma merecida “volta ao berço” depois de quase 41 anos ininterruptos de “idas e vindas” nesta minha “paixão desvairada”. Amamos e nos desamamos, mas desta vez o “velho tesão” falou mais alto. Primeiro amor, né... Sabe como é.

Não sei quem é mais louco, eu ou a “minha Sampa”.

Fruto deste deslocamento e ainda que sob condições totalmente desfavoráveis como poeira, quebra-quebra e lixa-lixa mantive as crônicas semanais de todas as quartas feira neste blog e tive o imenso prazer de ver frutificar o esforço do meu amigo e mestre José Carlos Bortoloti na sua divulgação.

O número de leitores tem sido surpreendente e tem colocado a Sala de Protheus o PENSAR NÃO DI, como um campeão de leitura entre os pequenos e médios blogs. Começamos com uma média de 300 leitores semanais há sete meses e agora já estamos atingindo uma média de 2.000 leitores em cada crônica.

Só conheço duas palavras plenas de sentido para expressar gratidão e são as que agora dirijo a todos vocês: MUITO OBRIGADO.

Tenho restringido a agradecer os comentários no Blog e mesmo assim só os postados imediatamente à publicação da crônica, mas minha ausência no Twitter não tem permitido agradecer individualmente às manifestações de aprovação e crítica às crônicas. Tenham a certeza, que me fazem me sentir plenamente realizado na missão a que me propus que é a de “falar de valores”, que são tão caros a qualquer “cidadão brasileiro de verdade”.

Em breve estaremos lançando um livro, outra das razões desta “desencarnação provisória e voluntária”, O CERCADINHO DO MEU DISTRITO, que versa sobre o VOTO DISTRITAL, que certamente é a única maneira de termos nossa representação colocada no “ponto certo”. Quero que vocês compartilhem destas minhas elucubrações e certamente vocês serão avisados, oportunamente.



Conto com a leitura e o carinho de vocês para “nosso crescimento” mútuo...
SEMPRE!

 
                                                                                                                 Antônio Figueiredo
Articulista e Escritor
São Paulo - SP