quinta-feira, 28 de julho de 2016


#SerieEntendimentos:

Amor Além da Carne!

“Aonde está você agora, 
além daqui dentro de mim?
No silêncio da noite: 
um sonho, 
desejo imenso
de rever alguém que se foi... 
Sonho real, 
faz surpresa pra mim...!”

Da obra Séculos de Luz, Amor e Vida
De Jandira Ferreira Jandamel

A única relação que torna pleno o viver é a não delimitada nos prazeres carnais. Reféns dos hormônios e dos sentidos são os que praticam o sexo só pelo sexo, o sexo só pelo prazer sexual. Naturalmente, o sexo consequente do amor passa pelos hormônios, pelos sentidos, mas através do amor as pessoas estão unidas no que há de mais nobre, intenso e verdadeiro nelas. Sexo é trocar sensações, sexo é emoção, amor é razão na qual não apenas partilha as sensações, a emoção, mas também compreende e vivencia tudo na mais profunda essência do ser humano. O amor é a mais profunda e pura essência do ser humano.
Se a única motivação ao se relacionar é o prazer carnal, a vida perde o significado. O corpo está sujeito ao tempo, aquilo que vive só no corpo é breve, é passageiro. Que as pessoas ultrapassem as fronteiras da carne, do físico relacionando-se umas com as outras, pois os sentimentos mais profundos que ligam as pessoas, o que se define por amor é a ponte para a verdadeira felicidade.

Com a ressalva de exceções, nos casos em que pode cruzar o caminho de alguém especial, alguém com a intenção de um relacionamento sério, a pessoa não vai encontrar algo diferente do que busca. Se busca sexo, é sexo que vai encontrar. Busque por amor e vai encontrá-lo, e no momento em que o encontra, descobre a razão do seu viver.
Em um compromisso, que a proposta de ambos seja uma só, quando não, que, pelo bem, para o bem, sejam moldadas e moldem umas às outras ao melhor de si mesmas adequando-se à relação. O relacionamento ideal é regido pela harmonia.
É sempre válido perguntar a si mesmo:
Estou sendo aquele que gostaria de ter em mim se estivesse no lugar da pessoa comigo?

Junto do amor, a fidelidade é base de um relacionamento. A reciprocidade é o caminho para o relacionamento feliz e duradouro. Seja aquilo que, na melhor das hipóteses, espera da pessoa contigo, não haverá arrependimentos de sua parte (se ela não corresponder terá sido por imaturidade), e que não haja sofrimento também, porque boas pessoas não merecem sofrer, muito pelo contrário, merecem ser felizes e, tendo consciência disso, que não se entreguem ao sofrimento, mas permitam-se amar de novo. Após a escuridão de uma noite, vêm sempre a luz de um dia. Há sempre uma nova oportunidade, e é certo que encontram o amor e com ele a felicidade todos aqueles que se permitem, todos aqueles que buscam.
Os que vivem pelos prazeres carnais ainda estão perdidos nesse mundo, enquanto os que buscam o amor (o amor que constrói um relacionamento) prosseguem pelo verdadeiro caminho da vida. Independentemente do que vivemos anteriormente, que uma experiência ruim não crie traumas, não os deixe fechados, mas torne-nos resistentes, imunes quanto ao sofrimento. Que estejamos sempre dispostos a amar. Que escolhamos cultivar o tipo de amor certo, o amor além da carne, o amor além dos prazeres carnais, pois este é aquele que fornece o fruto da verdadeira felicidade, não aquela apenas momentânea, mas aquela para toda a vida.



Entendimentos & Compreensões:
Arthur Cordeiro
São José dos Campos – SP - 
Estudante de Teologia
E compositor nas horas vagas (como gosta de dizer)
Face book: www.facebook.com/oarthurcordeiro
Twitter: @oarthurcordeiro
Arquivos da Sala de Protheus
www.epensarnaodoi.blogspot.com.br


Obs..:
Todas as obras publicadas na Sala de Protheus
São de inteira responsabilidade de seus autores.
O Editor!