domingo, 29 de novembro de 2015


 

Purgatório!

Se existe um purgatório
lá esta meu coração
não vive mais na terra dos vivos
Mas, não alcançou o céu,
nem o amor e nem a paixão
.

O céu dos amantes é a correspondência,
a cumplicidade
as palavras ditas que nos beijam
o nome desvelado do amor
o abraço perdido
em laços de braços e pernas
que fazem o tempo parar
e espantam a morte.


A terra dos amantes é a procura
o momento do encantamento
o poema inspirado
um beijo esperado
a expectativa do que não é
Mas, pode vir a ser.
E o lugar de uma certa esperança
de uma descoberta
redescoberta....

O purgatório dos amantes é a desilusão
e o amar sem ser amado
a solidão.
É o desejo de voltar a terra se possível
e começar de novo!
Mas, visto que já se está morto
nada mais há a fazer.

O purgatório é lugar da agonia,
da saudade, do desejo, do pulsar amor
e o coração saber que é tudo vão.
Por mais gestos e palavras.
Sejam poemas
E mesmo que nunca ditas
as palavras que beijam
nunca são recebidas.

E o lugar da casa vazia
da esperança morta
das lágrimas escondidas
dos suspiros profundos
de noites sem dia.

Há salvação nesse purgatório?
Não sei.
Só sei que nele há solidão,
Duras realidades, dores vivas.
Musicas que transpassam a alma
e silencio que mortifica.

Não se escapa do purgatório sem interferência divina
Ou até que tudo o que se sente
seja exaurido
até o fim...



Quem sabe ao sair do purgatório se volte a terra
E recomece uma nova história?
Ou sabe-se lá que depois de purgar
todo amor rejeitado
se acabe no inferno do cinismo
dos corações feridos,
desiludidos e maltratados?
E nunca mais se emocione com um verso
Nem com as palavras que nos beijam
Com a chuva que caí na janela?

E tudo seja naturalmente um acaso fortuito
mesmo que nesse acaso os corpos se encontrem
Em abraços contra morte
e no calor do acaso
atinjam suavemente o céu por um instante.
E voltem a terra
E depois nada aconteceu...


E tudo naturalmente volte a ser como antes
Sem lembrança,
Sem versos,
Sem palavras que beijem a boca
Sem emoção do amor
Nem a loucura da paixão.

 

 Dos Sentimentos, Entendimentos & Compreensões de
Candida Maria Ferreira da Silva
Assistente Social, Teóloga, Especialista em
Infância e Violência Doméstica pela USP.
- Rio de Janeiro – RJ -
Candida é autora do Diário
blogcontosrecontos.blogspot.com.br

 

Obs.:
Todas as obras publicadas na Sala de Protheus
são de inteira responsabilidade de seus autores.
O Editor!