quinta-feira, 3 de outubro de 2013

“... Mulheres Pequenas...!
- Grandes Almas –




... Eu me inspiro nas pequenas coisas, numa borboleta em minha lâmpada,
 num sorriso de criança, num livro de cabeceira. por que as 
pequenas coisas na verdade tem um valor gigante...!”

Ve-k

Nestes dias primaveris, onde o inverno ainda teima em se manter no Sul, em conversas com amigos queridos, surgiu o assunto Mulheres Pequenas.

Sim seres de pequena estatura, mas de grandes almas, corações gigantescos, sorrisos sempre abertos, como se isso fosse garantir uma supremacia entre os ditos “seres maiores”. Mas apenas em tamanho.
Tenho centenas de amigas, principalmente alunas, todas as mulheres pequenas. Sim, não ultrapassam um metro e sessenta. Mas no resto são gigantes.

Como se para equilibrar, entre o tamanho dos famosos manequins de mais de um metro e setenta e cinco, elas tivessem uma força descomunalmente divina.
Começando pelo sorriso. Uma mulher pequena está sempre sorrindo. Por mais desafios ou sofrimentos, ou sacrifícios ainda que possa enfrentar, ela sempre vai te receber sorrindo.

Uma espécie de compensação. É como se seus corações fossem maiores, metaforicamente, assim se sobressaem a grande maioria.
Meu pensador preferido tinha uma maneira peculiar de se referir a isso. Nietzsche afirmava:
“... Máscaras. - Há mulheres que, por mais que as pesquisemos, não tem interior, são puras máscaras. É digno de pena o homem que se envolve com estes seres quase espectrais, inevitavelmente insatisfatórios, mas precisamente eles são capazes de despertar da maneira mais intensa o desejo do homem: ele procura a sua alma - e continua procurando para sempre...!”.

Mas parece que as Mulheres Pequenas contradizem isso.
Questão de opinião? Não. Vivência com muitas delas. Na amizade principalmente. No amor é onde elas mais se salientam.
Tornam-se tão grandes que mesmo grandes homens (em estatura) se tornam diminutos.
Mas não estão compensando nada não. Estão manifestando o que tem de grande, de divino, de essência.
O jargão de que “pequenos frascos contém os melhores perfumes”, aplica-se não só metaforicamente como na prática a estes seres criados por Ele, Para serem apreciados, admirados por poucos, com sensibilidade profunda, perspicácia que os tornam diferençados dos que somente procuram o exterior.

Surpreendem-se com o que encontram interiormente nestes pequenos grandes seres.
O Rei Roberto Carlos já fez uma música exclusiva para homenagear Mulher Pequena.

Tinha razão ele. Cientificamente, já foi confirmado que mulheres pequenas têm mais orgasmos que as demais.
Mas estamos falando de Mulheres Pequenas somente por isso? Não. Seria machismo exacerbado.

O que mais encanta mesmo é que elas sempre estão sorrindo. Como se desabrochassem a cada minuto para a vida, para os companheiros, para os amigos, para aqueles com quem convivem.
Dizem que até a TPM é diferente em Mulher Pequena. Isso é possível?
Sim. Confesso. È verdade. É como se elas não tivessem este “contratempo” fisiológico das demais.

Assim tornam-se paixões fáceis para homens que aprenderam a valorizar que as pequenas coisas são de maior importância.
É como se seus cérebros fossem maiores e seus neurônios tivessem além de maior quantidade mais velocidade.

Pois o sorriso vem fácil e com ele ficamos hipnotizados.
Como já afirmou Martinho da Vila: ”(...) já tive mulheres de todos os tipos...(....)!” mas quando você “tiver” uma mulher pequena, bem ai vai ver a diferença.
Elas já nascem sabendo que “pensar não dói”... E amar para elas é tudo.
Por isso Mulheres Pequenas, Grandes em tudo o resto...

Nada melhor que conferir a poesia da grande amiga carioca  Mônica Raouf El Bayeh  em  

Eis nossa (homens) maior necessidade, enquanto mais primitivos que elas. Apenas Mulheres Pequenas. Elas sabem amar mais que as grandes.



Entendimentos & Compreensões
Em homenagem a todas as pequenas grandes mulheres.
Amigas e amores.
www.epensarnaodoi.blogspot.com.br

www.Twitter.com/profeborto