sexta-feira, 13 de setembro de 2013

“Ah, Essa Sexta-feira 13!”




“... Bruxas são fadas que não 
foram suficientemente amadas...!”

Protheus


Ah, sexta-feira! Gostaria que imaginassem: Acordar, abrir as janelas e sentir, literalmente, uma borrifada perfumada. Sim, a primavera resolveu aparecer mais cedo. Tudo está florido e depois do frio tradicional do sul, o sol apareceu e tudo muda. Principalmente as feições, nas pessoas. Claro, aqui no sul.

As árvores frutíferas deixam um lençol, muito alvo, embaixo delas de flores. Os gramados voltam a ficar de um verde escuro encantador...E a lista, para nós é interminável e traz o sorriso de volta.

Melhor que isso?
Sim. Existem muitas coias. Mas a lista é interminável. Vou poupá-los.

Na correspondência virtual, uma amiga me chama e diz: “Não vou sair, imagine, sexta-feira, dia 13, como vou ficar?”.
Ela não precisa se preocupar, é quarto crescente. A lua é claro.

Mas essa superstição é antiguíssima. De tempos imemoriais.
Nos livros de pesquisa – não vivo sem eles – está escrito, mais ou menos, assim: A Sexta-feira no dia 13 de qualquer mês, é considerada popularmente como um dia de azar.

O número 13 é considerado de má sorte. Na numerologia o número 12 é considerado de algo completo, como por exemplo: 12 meses no ano, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus ou 12 signos do Zodíaco. Já o 13, é considerado um número irregular, sinal de infortúnio. A sexta-feira foi o dia em que Jesus foi crucificado e também é considerado um dia de azar. Somando o dia da semana de azar (sexta) com o número de azar (13) tem-se o mais azarado dos dias.

Triscaidecafobia é um medo irracional e incomum do número 13. O medo específico da sexta-feira 13 (fobia) é chamado de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia.

Viram? Tem-se explicação para tudo. Mas para superar a superstição, que vem com a memória genética, não é assim tão fácil.
superstição foi relatada em diversas culturas remontadas muito antes de Cristo. Existem histórias remontadas também pela mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, deus da trapaça e da discórdia, da sabedoria e estratégia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses.


Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituídos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.

Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos. Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa.

Com relação à sexta-feira, diversas culturas a consideram como dia de mau agouro: Alguns pesquisadores relatam que o grande dilúvio aconteceu na sexta-feira. A morte de Cristo aconteceu numa sexta-feira conhecida como Sexta-Feira da Paixão. Marinheiros ingleses não gostam de zarpar seus navios à sexta-feira.

No cristianismo é relatado um evento de má sorte em 13 de Outubro de 1307, sexta-feira, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França. Os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia.

Outra possibilidade para esta crença está no fato de que Jesus Cristo provavelmente foi morto numa sexta-feira 13, uma vez que a Páscoa judaica é celebrada no dia 14 do mês de Nissan, no calendário hebraico.

Recorde-se ainda que na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por crucificação e Judas provavelmente por suicídio.

Note-se também que, no Tarô, a carta de número 13 representa a Morte.
Mas para nós, simples mortais, é uma sexta-feira, como outra qualquer. Fazemos tudo igual. Somos dominados por normose (termo criado por Jean-Yves Lelloup), e seguimos tentando  ser feliz.
Nem sempre conseguimos, mas continuamos. No sábado dia 14, no domingo dia 15.... E assim por diante.

Portanto, se ainda não é fada, sê bruxa... Logo o amor te transforma.
E pensar não dói... Mesmo sendo você supersticioso.
Tente.

Leituras & Pensamentos da Madrugada
Publicado no Grupo Kasal - Vitória - ES - 
www.konvenios.com.br/articulistas 
www.epensarnaodoi.blogspot.com.br
www.Twitter.com/profeborto