quinta-feira, 5 de maio de 2016

#SerieCidadania:


O Homem e a Palavra!

“... Se trouxeres teu orgulho de ser brasileiro,

te entregarei a minha honra de ser gaúcho...!”

Bernardo Fragoso

                            Nas ultimas semanas, principalmente, após a votação na Camara dos Deputados sobre o voto de Impedimento Presidencial, nunca a frase do grande Rubem Alves fez tanto sentido: Deveriamos praticar mais Escutarória (...) pois a oratória dos ditos “representantes do povo”, foi de cruel a catastrófico rapidamente.

                          Nunca em minha vida profissional e de pesquisador e apaixonado pela Língua Portuguêsa Brasilesa, depois de tantos anos repassando e ensinando o escrito e o falado, doeu-me tanto e me fez sentir tão pequeno. Confesso-lhes: Senti-me agredido em minha alma, em minha crença de brasilês, em minha dedicação de levar nossa “ultima flor do lácio...” das palavras de Olavo Bilac, para mais de 5 estados, na costa oeste brasilesa,contando o meu torrão gaúcho.


                          Em todos os lugares dizia que nossa amada língua é ditada por lei e que seria um crime falar ou escrever erradamente – ao menos em documentos oficiais. provas e outros – com todo o respeito e paixão que tenho por todos os regionalismos deste amado torrão natal.
Dizia que o que sai da boca primeiro vem do coração.
                    E nunca tinha conhecido corações tão sujos, tão desprovidos de bom senso, tão mesquinhos, tão lotados de mediocridade, esta filha da hipocrisia, como tenho lido em nossa dita “imprensinha”, e dos discursinhos dos parlamentares.
                               Eles não só ofendem a língua pátria, como tambem ao povo brasilês, este que se esforça tanto para ser o que lhe é natural... Um cidadão:
Sempre disse, tambem, que o exemplo ensina muito mais que o resto todo. 
Dai meu amigo e engenheiro do Mato Grosso do Sul, Francisco Cruz, manda-me correspondência eletrônica pedindo:


“ Peço que se possível fale sobre o famigerado uso indevido da palavra 'fala' em substituição a discurso, parecer, opinião...”.

Diz mais meu adorado amigo matucho (mistura de gaúchos que nasceram no Mato Grosso e que tenham origem na família gaúchos):
“...Isso virou um doença contagiosa, até conservadores estão utilizando o termo 'fala'; está insuportável ouvi-los e não ter asco...!”.
Tecnicamente ou biologicamente, como queiram, nossa palavra percorre um caminho lógico;
Nasce da sinapse (encontro de dois neurônios) e neste choque é enviado o pensamento para a área de Werneck (pesquisador e descobridor no cérebro), - logo acima da orelha esquerda, uns tres dedos na cabeça. Interiormente, é obvio, é onde situa-se esta área da Linguagem ou Área de Werneck. Após ter recebido os impulsos do pensamento e formado a linguagem, esta percorre o cérebro até outra área: a de Broca (outro pesquisador e descobridor) que é a área da Fala, na parte esquerda frontal do cérebro, logo no inicio dos cabelos (na testa como diria-se popularmente). Esta área responsabel pela fala é que orienta todo o aparelho fonoarticulatório – boca e todos os seus componentes, as cordas vocais, até o diafragma.


                       Todo este processo para originar a Fala. Somente o ser humano possui isto. Portanto nao diga que até papagaio fala. Não. Papagaio é um animal que através do conceito do pesquisador Pavlov é condicionado a repetir o que lhes dissermos. Condicionamento não é pensamento.

                       De tudo isso que somente o ser humano possui, parece, na opinião de meu amigo que somente alguns poucos brasileses, da política, tem consciência e conhecimento deste processo. Estes sim, estão mais para o condicionamento, tais quais papagaios, a falar as mesmas asneiras que lhes foram ensinadas.
Nosso grande escritor, poeta e pensador Luso/Brasilês Fernando Pessoa dizia:
“...A maioria pensa com a sensibilidade, e eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar...! ”.
Aristóteles, grande filósofo grego aC, criador sobre a teoria dos quatro tipos de discurso também muito utilizado pelo escritor brasilês Olavo de Carvalho, deixou dito:


                      A essa ideia Teoria dos Quatro Discursos. Pode ser resumida em uma frase: o discurso humano é uma potência única, que se atualiza de quatro maneiras diversas: a poética, a retórica, a dialética e a analítica (lógica).

Mas o grande filósofo Aristóteles deixou dito mais:
“.... Não há nada na nossa inteligência que não tenha passado pelos sentidos...! ”
Eis aqui a questão: Parece que tudo o que sai da boca do Brasilês, principalmente dos políticos atuais, não passou por nenhuma espécie de sentido humano. E sim foi decorado através de uma doutrinação esdruxula, pobre, mesquinha e ofensiva à inteligência de um povo.
                             Creio que para ser um político, desde o simples vereador em uma cidade, ou assumir qualquer cargo público de representatividade, deveria ser exigência uma prova oral e escrita dentro dos fundamentos de nossa língua pátria.
Quem sabe assim não nos ofenderiam tanto; não nos chamariam tanto de ignorantes por serem eles ignóbeis; respeitariam mais a pátria que “juraram” defender e, consequentemente, saberiam a Língua Pátria, que nos é tão cara.
                              Mas assim como para meu amigo, parece que o único sentimento que ainda continuaremos a ter derivado deste asco de ouvir tais falácias que mais parecem serem vomitânticos do que providos de um pouco de inteligência.... De bom senso (algo comum aos antigos gregos).


Ainda vai demorar.

Que triste tentar dizer para um adolescente o porquê que um político fala daquele jeito; como explicar se ele está na escola ensinando o certo. Ou não está?
Por isso coloquei em epígrafe a frase do gaúcho. Pois nós temos orgulho de nossas raízes de criação e educação. Amamos o Rio Grande e amamos o Brasil. Um não existe sem o outro.
Pensem mais antes de falar brasileses.... Não dói!
Mas falar asneira dói no ouvido e na alma de quem se diz gostar do Brasil.


Entendimentos & Compreensões

Leituras & Pensamentos
Transpirado do pedido de 
Francisco Cruz – Engenheiro Civil
Mato Grosso – Brasil.
Publicado, originalmente, no Grupo Kasal – Vitória – ES.
http://konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=27743
Arquivos da Sala de Protheus
www.epensarnaodoi.blogspot.com.br