sábado, 14 de maio de 2016

#PensarNaoDoi:

“ Honra & Dignidade! ”

“... A dignidade pessoal e a honra não
podem ser protegidas por outros.
Devem ser zeladas pelo indivíduo
em particular...!”

Mahatma Gandhi

O que é honra e dignidade nos dias atuais?
Será que todos os seres que “perambulam” pelas ditas “redes sociais”, em sua grande maioria já pensaram sobre se tem tais virtudes ou não? Será que conhecem um pouco de sua estrutura moral?
Será que os seres que tentam “descortinar” este Brasil atolado em corrupção e ausência total de valores de humanidade conseguem parar um pouco para pensar sobre o que tem? Sobre o que herdaram ou não de seus pais? O que aprenderam com seus professores?
Será que estes “repetidores” de “copia e cola” e manda à frente, sabem exatamente o que estão fazendo? E se seus filhos os observassem? O que Eles diriam?
                               Sou gaúcho e aprendi desde tenra idade: jamais dê sua palavra se não for cumpri-la. Você perderá sua honra e sua dignidade.
Mas o que é honra?
                             Ora, em qualquer dicionário simplório você encontrará este substantivo feminino dizendo que é o princípio que leva alguém a ter uma conduta proba, virtuosa, corajosa, e que lhe permite gozar de bom conceito junto à sociedade. Também é uma consideração devida a uma pessoa que se distingue por seus dotes intelectuais, artísticos, morais; privilégio.
Vou colocar um exemplo.
O “ilegal” “Jogo do Bicho", prática popular no Brasil inteiro. Você simplesmente faz uma aposta, que é anotado em um “bloquinho”, por um “recolhedor”, que coloca uma letra só como assinatura. E se você ganhar, não precisa ir procura-lo. Ele vem trazer seu prêmio de direito.
Diferente de todas as jogatinas ditas “oficiais” que conhecemos no Brasil. Por tanto este tal de “jogo proibido” é completamente honrado e trabalhado com dignidade. Mesmo que digam que os grandes “bicheiros”, também chamados de “donos de Bancas” financiem o crime. Ora depois de vários crimes cometidos por todos os políticos no Brasil parece que também teremos que rever outros conceitos.
                                  O gaúcho tem até hoje estes valores. E lhe são por demais caros. Uma palavra dada é mantida pelo “fio de bigode” como diziam os antigos. Ou seja: o que foi falado jamais será descumprido. E honra nisso é maior do que registrar em cartório, pois a dignidade do sujeito está ligada a isso tudo. E se alguém perder tal honra. Perde tudo.
                               De nossa educação – quase toda ela com base religiosa – aprendemos desde pequeninos a: “Honrar pai e mãe”. Isso é sagrado. Não é discutível. Cumpre-se com prazer pela dignidade que isso representa e pronto.

                            O Gaúcho ainda marca um horário e chega no mínimo 10 minutos antes. Se for com uma dama pior ainda.... É muito caro a imagem de honradez e dignidade perante uma Prenda para o Gaúcho. Ele pode não ter dinheiro nenhum, ser um, literalmente “sem nada” em termos financeiros e econômicos, mas se tiver honradez e dignidade é um homem riquíssimo.
                            Os da minha geração que conseguiram passar isso tudo para seus filhos, orgulham-se de ter-lhes deixado a maior e melhor herança possível no mundo.
Um pai quer seu filho dotado de todos os principais valores para que enfrente o mundo com altivez.
                              Pode-se afirmar sem medo de errar que ser honrado é julgamento que determina o caráter de uma pessoa exatamente: se ou não a pessoa reflete honestidade, respeito, integridade ou justiça.
                           Dr. Samuel Johnson, definia honra como tendo vários sentidos, o primeiro de que eram “nobreza de alma, magnanimidade, e um desprezo a maldade”. Esse tipo de honra decorre da percepção da conduta virtuosa e integridade pessoal da pessoa dotada com ele. Por outro lado, Johnson também definiu em relação a honra a "reputação" e "fama", aos "privilégios de classificação ou nascimento", e como "respeito" do tipo da que "coloca um indivíduo socialmente e determina o seu direito de precedência”.
                              Eis a honra que fomos ensinados a ter. Eis a dignidade que fomos exemplarmente mostrados a mantê-la.

                                     E eis o que mais está faltando nos políticos e na maioria dos eleitores, que em desonra a seu próprio nome, a de seus pais e de seu País doa seu voto, consequentemente, sua assinatura para que sujeitos “desonrosos e desclassificados”, exerçam um poder. Dos quais depois dependerá que uma tal de “justiça”, na maioria das vezes dotada destes mesmos seres julgue o que o “eleitor não gostou”.
Eis as ambiguidades de nossa cultura causada pela ausência de educação familiar e, completa, no sistema de ensino.
                             E isso vai além; nas relações internacionais contemporâneas, o conceito de "credibilidade" assemelha-se ao da honra, como quando a credibilidade de um estado ou de uma aliança parece estar em jogo, e políticos vinculados em honra pedem medidas drásticas.
                                         O conceito grego antigo de honra (timē) incluía não apenas a exaltação dos que recebem uma honra, mas também a superar uma vergonha pelo ato de arrogância.
                            Meu pensador predileto Nietzsche, deixou registrado em A Gaia Ciência: “Quem aqui entra, faz-me uma honra; quem não entra – um prazer”.
Ficou um pouco mais fácil para seus pensamentos agora? Então pode analisar o Brasil como um todo atualmente. Mas antes, por favor, comece por sua casa... Sua família... Sua comunidade... Seus amigos. 

Todos se comportam ou tem estes valores tão caros?
Ao sair à rua, respeita as faixas de seguranças e sinais de trânsito?
Concede espaço em filas às pessoas mais velhas ou deficientes?
Se encontrar qualquer ato negativo, em qualquer destas ações mais simples, creia-me. Estás colocando tua honra e dignidade em jogo.
                               Quanto ao ser como eleitor, pense muito nisso. Pois além dos que tu ama, tem um povo inteiro, um estado... Todo o Brasil que depende de atos tão primários quanto a ter honra e dignidade nas eleições e cobranças de políticos, estes atualmente, desprovidos de todas elas.
Pense... Ainda não dói...


Entendimentos & Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Fontes:
Dr. Samuel Johnson, em A Dictionary of the English Language (1755).
A Gaia Ciência – Nietzsche –
Coleção Pensadores – Nova Cultural – 1991. 
Publicado originalmente no Grupo Kasal – Vitória – ES.
http://konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=27769
Arquivos da Sala de Protheus
www.epensarnaodoi.blogspot.com.br