sexta-feira, 4 de março de 2016


#Cidadania:
 O Despertar Politico no Brasil!

 “...Existe uma deformação lastimável na 
Consciência política coletiva do nosso povo:
O Povo Adora Ser Enganado...
Povo alienado, politicalha feliz...!”

                                                                                             Renêe Vancio




Na ultima semana, em entrevista, para um blog brasilês, a grande dama do Twitter no Brasil, a paulista e paulistana, Marisa Cruz começou com esta pergunta a sua fala:
- O que me fez despertar para a política? E ela mesma começa sua resposta: 
- A questão é que a política interfere em nossa vida diária...! E continua a paulista e paulistana Marisa:
- Um governante mal intencionada utiliza a caneta e o cargo, para o qual foi eleito, para mais prejudicar o cidadão brasilês do que para beneficiar.
E continuou:
- No dia a dia, de cada um de nós, as surpresas dos governantes nos apavoram.


Mas antes de continuar a utilizar os comentários de minha amiga paulista permita-me te situar um pouco:
Historicamente, principalmente, para quem não é da minha geração. Ou seja, daquela que passou por dois tipos de governos:
A primeira, dos Militares, quando era criança e os outros depois.
De um lado quando criança, até entrar em minhas atividades profissionais, inclusive o Serviço Militar Obrigatório, tudo foi efetuado durante Governos Militares
Em casa nada ouvíamos contra os militares. Mesmo meu pai com pouquíssimo conhecimento adquirido, além de sua cultura de vida de imigrante Italiano no sul, nada ouvíamos. Andávamos pela cidade que era segura... Aprendi a dirigir com 12 anos e circulava na cidade inteira. Se houve algum problema fazendo esta ilegalidade de uma criança? Não! Pois quem cuidava da segurança conhecia quem era quem em cada cidade.


De outro lado tivemos o que chamam de “ditadura”, jogado a céu aberto pelos mesmos esquerdinhas, de todas as classes e categorias, que agora estamos descobrindo, na prática, que tipo de gente são realmente. Independente de suas classes sociais vistos os desgostos com atores e cantores, ditos, nacionais.
Nunca houve problema algum em os Militares terem efetuado UM CONTRAGOLPE, contra a esquerdalha em 1964, do que tudo que foi literalmente mentido até hoje.
Mas como jovens, nossa geração só ouvia este “outro lado”, que tal qual “cão sarnento de rua”, (aqui utilizado como subjetivação, e nada contra os amiguinhos quadrupedes), somente latiam a altos brados... E nada faziam...
Quando veio a tal e abertura com outra idiotização chamada “Diretas Já!”... Nós, todos inocentes e com pouca cultura política fomos atrás do primeiro “politicozinhos” que nos ofereceu uma flor e dizendo que os “tais de milicos” – acepção adjetivada para quem era militar do exército – somente nos traria eram armas, tiros e muitas dores.
Claro que esta juventude acreditou.
O resultado? 
Agora o Brasil inteiro está vendo, na prática, e a grande maioria na própria carne, no bolso e no estômago, do que os Militares nos livraram em 1964.


Com isso fomos praticamente uma geração perdida politicamente.
Quando minha amiga Marisa Cruz, diz que aquilo que nos fez ficarmos desligados do Brasil, de uma forma geral, no fundo foram tantas mentiras, contadas tantas vezes, que para nós, acabaram se tornando “verdades”, e agora descobertas se transformaram na tragédia atual.
A tal de Liberdade de Expressão era muito maior (já era Locutor de Rádio com 15 anos, no final dos anos 70) e podíamos falar o que quiséssemos, contanto que fosse verdade. Depois dos anos 90, com o falso tal de “politicamente correto” – mais uma manipulação de massas do que qualquer outra coisa, fomos jogados em uma verdadeira aberração do tal “bullying” (do inglês Intimidação) que tudo hoje é proibido e ai vem a pergunta:
Qual era a DITADURA mesmo?
Minha amiga Marisa deixou a seguinte interrogação em sua fala:
- Será que acreditavam que seriam “deuses do Olimpo” (se referindo após as “diretas já!”) que cuidariam do Brasil e do povo Brasileiro?
E responde em seguida:
- A cada governo que veio após as “diretas já!” houveram coisas boas, mas muitas coisas ruins. E todas as vezes que íamos às urnas votar, encantávamo-nos com as campanhas políticas que impressionavam os olhos. Só que na realidade nunca se concretizaram.
O desabafo no comentário gravado (link abaixo) da paulista e paulistana, mostra como estão a saúde, o saneamento básico, a educação mórbida e todas as áreas em que deveriam ser prioridades para qualquer dirigente sério.
Mas e hoje:
Marisa também deixa o seguinte conselho de quem viveu e conhece a política nacional.


- Hoje temos a internet. E podemos saber em detalhes quem é quem, com todos os detalhes (já se referindo às Eleições Municipais deste ano).
- O que não podemos ter, continua Marisa, é “preguiça” de uma prévia consulta de cada candidato pois nossos interesses estarão, com nosso aval, - o voto – nas mãos destas pessoas.
E conclui Marisa:
- Não vamos mais nos iludir com promessas que nunca serão cumpridas! Não serão eles os errados (...). Nós é que permitimos que eles errem... 2016 tem que ser a grande mudança de todos nós, cidadãos que amam este país.
Concluo eu buscando o pensamento de Mahatma Gandhi:
“...Sete pecados sociais: política sem princípios, riqueza sem trabalho, prazer sem consciência, conhecimento sem caráter, comércio sem moralidade, ciência sem humanidade e culto sem sacrifício...!”
Pensar não dói... Minha amiga, Marisa Cruz provou isso! Já votar sem a consciência... Traz o resultado que estamos vivendo.


Entendimentos & Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Gravação da Turismóloga paulista Marisa Cruz
No Twitter - @marisascruz
Para o blog
http://blogdowerneckdireitoepolitica.blogspot.com.br/
https://soundcloud.com/fernando-1997 
Arquivos da Sala de Protheus.



Obs.:
Todas as obras publicadas na Sala de Protheus
São de inteira responsabilidade de seus autores.
O Editor!