domingo, 17 de janeiro de 2016

#SOSEducac


Pátria Educadora!?
 
 "... O homem não é nada além daquilo
que a educação faz dele.
                                                                                                                Immanuel Kant


O Brasil dá mais ênfase ao topo, o Ensino Superior, do que à base, o Ensino Fundamental. O resultado é outra manifestação de instabilidade: a qualidade do Ensino Superior vem sendo puxada para baixo por causa da má qualidade do Ensino Médio; e este também vem perdendo qualidade por causa da piora no Ensino Fundamental.
Ninguém vê o óbvio: a pirâmide está invertida. A maior prova disso é o abandono da primeira infância. É nela que o Brasil começa, e seu abandono é a maior das ameaças à pirâmide invertida que caracteriza nosso País. Mesmo a educação é um exemplo do desequilíbrio da pirâmide invertida.

 
No ensino público: faltam 400 mil professores na Educação Básica (Fundamental e Médio) no País. A maior carência é para as disciplinas de matemática, química, física e biologia. Há escolas que nem as têm na grade.
Há uma melhora bem pequena nos anos iniciais da escola, e pouquíssima variação nas séries finais e no Ensino Médio. Os gastos em educação aumentaram — e muito — e foram criados muitos programas, mas isso não tem consistência suficiente para melhorar a qualidade do ensino. Então, temos duas hipóteses para a estagnação: ou os programas criados são bons, mas não foram bem executados, ou são desnecessários e não trouxeram benefício algum.
As escolas têm um punhado de papéis reunidos sob o nome de “proposta político-pedagógica”, seja lá o que isso queira dizer: começa com uma frase do Paulo Freire e termina citando Rubem Alves.
É preciso premiar quem faz direito e punir quem não faz. Hoje, o único punido no sistema de ensino brasileiro é o aluno reprovado.



 Isso é covardia. Nada acontece com professor, diretor, secretário de Educação, prefeito ou governador quando eles falham.
Não conheço uma Secretaria de Educação no Brasil que tenha um especialista em demografia, que saiba quantas crianças vão nascer nos próximos anos e, portanto, quantas escolas precisam ser abertas ou fechadas.

                                                                                    Das Percepções de
                                                                                            Nelson Valente
                                           Professor Universitário, Jornalista e Escritor.
                                                                                  Santa Catarina – SC -




 Obs.:
Todas as obras publicadas na Sala de Protheus
São de inteira responsabilidade de seus autores.
O Editor!