quinta-feira, 17 de setembro de 2015


#SerieSentimentos:

 

A Mulher e o Mar!



“... A voz do mar é sedutora; nunca cessa, sussurrando,
Clamando, murmurando, convidando a alma a vaguear
por um feitiço em abismos de solidão; se perder em labirintos de
contemplação interior. A voz do mar fala com a alma. O toque do mar é
 sensual, envolvendo o corpo suavemente, num abraço apertado!

 Kate Chopin - em "The Awakening!"



Diante do mar é que o ser humano constata toda a sua insignificância. Aquele poderoso universo azul cheio de mistérios e encantamentos, que seduz, amedronta, encanta e emociona, onde o maior dos navios que se possa construir ainda será um “grão de milho” em um vasto “milharal”, transforma o ser humano em um pequenino ponto perdido no infinito.

Porém, que me desculpe o poderoso mar. Longe de eu duvidar de sua força e imponência, mas de nada vale o eterno namoro do oceano com a praia, beijando e lambendo a areia como se fossem as preliminares do amor se não existisse o andar descontraído e apaixonante da mulher e sua feminilidade. Pele aveludada, cabelos soltos ao vento, um sorriso que mistura inocência de menina e experiência de mulher, e aquelas curvas que me fizeram derrapar de uma maneira tão deliciosa e inesquecível...


É... O mar que me perdoe, mas a sua imensidão azul fica incompleta sem a sensualidade da mulher. A sua brisa não tem graça sem o perfume da mulher, e o abraço das ondas cai no esquecimento sem o teu abraço, mulher. O destino ainda é mais misterioso do que o mar; isto porque na medida em que a tecnologia se desenvolve, mais e mais maneiras e meios diferentes de explorar o oceano são descobertos. Submarinos cada vez mais potentes são inventados para desvendar os segredos das profundezas do mar.
Contudo, não há como saber o que o destino nos reserva. Não existe maneira de saber, adivinhar ou pesquisar o futuro como se fosse uma viagem de navio ou submarino explorando o oceano. Todos sabemos que Netuno, o Deus grego do mar, não existe. No entanto, o Deus de Abraão, Senhor do céu e da Terra, Aquele que enviou Jesus para redimir em seu sofrimento os nossos pecados, esse sim; Ele existe e é a Ele a quem agradeço por ter lhe encontrado, por estar amando e querendo você cada vez mais, mulher....
Um dia resolvi reencontrar o mar, banhar-me em suas ondas e refrescar-me com sua brisa, mas, na verdade, encontrei você, banhei-me no seu corpo e me refresquei em sua saliva. O que seria do mar se não fosse o encanto da mulher... O que seria do meu coração se não fosse você, mulher...

  
Dos Entendimentos, Percepções e Compreensões.
De Cleber Máximo – Escrito na Praia de Nova,
no Espirito Santo – ES.
Belo Horizonte – MG.
Exclusivo para a Sala de Protheus