quarta-feira, 19 de março de 2014


Do Rio de Janeiro para a Sala de Protheus
A poetisa com o lançamento de seu livro
Monica El Bayef



Meu Livro e Eu!
- Uma História de Amor -


  
“.. E se tudo o que puder fazer for sentir, que pelo menos eu possa escrever sobre isso! Se um acontecimento me amola, escrever me consola. Uma forma de digerir até conseguir não dar mais bola. Assim sigo...!”

Citação do blog http://poesiatodaprosa.blogspot.com.br
da autora.

A história desse livro começou num churrasco, dia 23 de dezembro de 2012. Um grande amigo me disse que eu deveria ir além dos textos. Porque não um livro? Tente.

Não me imaginava escrevendo tanto. Um livro! Muita responsabilidade. Mas deitei na rede e comecei sem compromisso. Balançavam o cérebro e a rede. E o livro começou a surgir. Hoje, não sei dizer como...

Mas ainda é nítida e quente a lembrança. O melhor: a sensação de não saber do futuro. Tinha o hábito, quando solteira, de sair sem rumo. Mochila no carro, guia nas mãos, biquíni e casaco para qualquer eventualidade. Na estrada a gente escolhia o rumo. Delicioso...
Ali, eu e o livro, experimentamos a mesma experiência: livres sem saber para onde ir. Fui me apaixonando pela protagonista. Amo como se fosse uma amiga. Adoraria poder sair com ela para beber e conversar uma noite inteira. Acho que ela gostaria também.

Propositalmente não dei nome, profissão, nem idade. Ela é qualquer um de nós e todas nós, ao mesmo tempo.  
Terminei esse livro dia 12 de janeiro, menos de um mês depois. Aproveitei as férias. Mar me da boas ideias... Lagoas também... Mergulhava, ficava lá de molho, voltava e escrevia mais um capítulo.

Fiquei um ano com o livro. Sem saber muito bem o que fazer. Medo de colocar filho para andar pelo mundo. Com a ajuda de dois amigos de enorme generosidade, o livro pode ser publicado. Publicado pela Amazon, uma experiência nova.

Encomendei o livro. Um processo de espera. Dias de angústia esperando o correio chegar e nada. Lembrei-me da adolescência, das cartas do namorado longe. Lembrei-me da barriga grande de final de gravidez. Da espera pela lua cheia que traria as contrações.    



Ontem chegou! Estava de novo com um bebê nos braços. O mesmo afeto, a mesma preocupação. O que seria dele? Saberia eu escolher o melhor caminho? Este bebê tinha uma diferença, chegou envelopado, pelo correio. Mas meu coração disparou igual.
Cheirei, beijei, bati foto. Mais um filho que pus no mundo. Este , ao contrário dos outros, criado para passar de mão em mão, se Deus quiser. 


Ah, amada poetisa...
Desta obra... Deste filho... Pedi a Monica uma de suas marcas registradas: A poesia!
Eis o que ela fez sobre seu “filho literário”:

Plantei algumas coisas
Nem todas vingaram, é certo.
Comecei alguns projetos
A maioria futuro incerto

Concluir é desejo doce
Água pura no deserto
No prazer de olhar ali pronto
Até me desconcerto

Sonho bom realizado
Ter o ser amado por perto
Me pego sorrindo e sonhando
Um sonho agora desperto

Do fundo do meu pensamento
De mão em mão voa liberto
No meu colo meu livro nascido
Me pisca um olhar aberto

Cheiro, beijo e abraço
Folheio, leio e aperto
Converso, ele me responde
Como responde todo livro aberto

Falo de amor por ele
Ele fica boquiaberto
Um livro escrito é amor puro
O melhor de mim que oferto


Felicidades... Tu escritora e teu "filho literário"...

Felizes com tua alegria.....


Da sensibilidade e transpiração de
Mônica Raouf El Bayef
Psicóloga, Professora,  Poetisa e Escritora
Rio de Janeiro – Brasil
Ela está no Twitter em:
@monicabayef
Seu blog é:
http://poesiatodaprosa.blogspot.com.br
Seu livro está em:
http://www.amazon.com/dp/1496056582/ref=rdr_ext_tmb