quarta-feira, 26 de março de 2014


"As Maneiras de Amar... Ou Sentir!"
-Um pouco de Mônica Bayef -




“... Quantas vezes o medo do que o outro vai pensar enjaula a gente?Quantas vezes a gente bifurca para o lado errado por medo da opinião alheia? Não segue o coração e se estropia...!”.

- Extraido do livro Não Preciso Dizer Que Sempre Te amei –
 Segunda Obra de Mônica Bayef pela Amazon Books


O dia começava normal. Sem alterações. Enquanto o cheiro de café passado se espalha, ligo o computador... Espero as atualizações de vírus e outras coisas...
Pego uma caneca de café e começo a ver as correspondências recebidas (e-mails).
Um me chama atenção: Não era conhecido. O título: Poesia Toda Prosa.
Mesmo não conhecendo o destinatário fui direto olhar... Apaixonado por palavras, linguagem a poesia e suas formas me atrai sobremaneira.

Largo a caneca de café... Fico boquiaberto com o que leio... O pensamento foi automático:
- Esta mulher me conhece?
Sim. Eram apenas três estrofes que me apresentavam a Mônica Bayef, que nem sabia quem era ou de onde. Mas suas palavras pareciam pular de minha alma... Meu coração ficou saltitante... Não me contive e em minha pequena pretensão soltei para meus botões...
- Não é possível, esta mulher parece estar lendo meu coração... É exatamente assim que me sinto...
Confesso. Desconcertado fui direto ao blog da poetisa.

E lá... Ah, lá naquele espaço tinham mais poesias e todas pareciam falar daquilo que “ia em meu coração e minha alma”.
Automaticamente, de novo, como que por impulso, vou direto aos comentários do blog, deixo um comentário ... Mas me parece tão pouco. Gostaria de dizer algo mais àquela mulher. Pego o endereço da poetisa e lá vou eu...
Mando-lhe um jornal.

A resposta não tardou:
Em sua forma sempre singela, quase beirando a uma timidez, agradece e me fornece o endereço do Twitter. - isso em janeiro de 2013.
Pronto. Começava assim uma amizade de amor incondicional entre um leitor ávido por todas aquelas formas maravilhosas de dizer o que se passa no coração e na alma e uma escritora fantástica,

Algum tempo depois, em que certa “intimidade” de amizade se formou remeto-lhe:
- Mônica, está na hora de registrar tudo isso em um livro. É muito profundo, lindo, emocionante e esta forma de transferência que se torna uma contratransferência faz-nos muitíssimo bem.
Em cada poesia lançada, lá ia eu para o Twitter e colocava cada estrofe. E as repostas vinham imediatamente. Como se fosse eu o poeta.
As respostas, mesmo que contivessem o autor eram sempre:
- Não, são de Mônica... Sou apaixonado pelas estrofes desta guria.(moça, mulher para o gaúcho).

Um dia Mônica, um pouco (ou muito tímida) me diz:
- Bortinho (ah, as formas carinhosas desta guria) já tentei buscar maneiras de fazer um livro, mas é muito difícil. Só dei com a “cara na parede”!
Tinha razão Ela. Eis nosso país em que a cultura não é valorizada.

Imediatamente lembrei-me de um ser divino, genial, gente, sobretudo e acima de tudo de uma doação incondicional impecável – Prof. Nelson Valente. Jornalista, professor, escritor. Um grande amigo e companheiro de lutas pela educação. Temos os mesmos ideais pela educação, principalmente nas áreas do fundamental e médio. Nossas paixões, tanto que, juntos criamos a Tag #SOSEducacao.

Converso com Nelson.
A resposta de quem já me havia cobrado para lançar minhas obras,
- Profe. Dá-me o endereço que posso ver através da Amazon.
Ele começa a ler as poesias e as crônicas de Mônica e pronto: Paixão a primeira vista.
Lá vão eles discutirem os assuntos. Fico feliz e pensei:
 - Pronto Mônica está em boas mãos.
E que boas divinas e maravilhosas mãos.

Em pouco tempo surgia e era lançado  - 101 Maneiras de Sobreviver a Um Caso de Amor – O primeiro “filho” literário de Mônica.
A recepção nas redes sociais foi fantástica. Todo mundo descobrindo aquela poetisa fantástica e suas formas de transformar sentimentos profundos em palavras, em estrofes, em poesia...
E seu estilo de “confessionalismo” impressionava, cativava e mais e mais pessoas ficam felizes com suas poesias...

No Twitter, recebia por vezes:
- Profe parece uma sessão de análise... Esta mulher entra em nossa alma!
Sim. Mônica tem esta dádiva... Completamente divina, Ela consegue isso e muito mais...
Mas as surpresas não paravam por ai:

Certo dia, Mônica manda-me.
- Bortinho, acho que tenho outro livro pronto...
Eu ria às gargalhadas.... Eis nossa iluminada poetisa agora escritora.

E lá vem o professor Nelson Valente fazendo a organização de: Eu Preciso Te Dizer que Sempre Te Amei! A nova obra de Mônica.

Esta é para deixar os sentimentos mais a “flor da pele”. Quase um diário de uma menina que mostra as relações com seu pai,
No fundo mais uma obra para se ter ao lado... Para consultar vez por outra... Para ler... Assim como a primeira....

Ah, Mônica... De sua timidez saiu tudo isso?




Das emoções... Aos sentimentos, todos eles sentidos e partilhados por Mônica, guardo em meu coração... Que suas emoções de menina repartidas comigo... E levando-me às lagrimas, são coisas de  amigos que precisam de alguém para mostrar o quanto são humanos... E desta humanidade incrível que “amo de graça” esta mulher de coração tão sensível, de mente tão genial e de alma Iluminada.

Abraços Sr. Bayef tens uma grande ser ao seu lado.
Aos filhos de Mônica saibam – Tem uma mãe maravilhosa que corrigiu tudo o que não lhe foi feito em amor a cada um de vocês.
Voces também são especiais...

Ao final, depois de “degustar” estas duas obras maravilhosas somente posso dizer.
Professor e amigo de alma Nelson Valente muitíssimo obrigado por mostrar o caminho a esta fantástica mulher convertida em escritora mais fantástica ainda.

Mônica Bayef, amiga de amor incondicional que bom que resolveu partilhar conosco, pobres seres mortais, tanta divindade... Tantas maravilhas que vai do coração a alma.
Sobretudo Mônica, obrigado por existir... Nós precisamos disso... Nós merecemos.

Já esperando seu terceiro “filho”...

Sucesso... Muito sucesso grande e divina amiga...



  
Dedicado à poetisa, escritora, psicóloga, esposa, mãe e, sobretudo, filha e carioca Mônica Bayef – Rio de Janeiro – RJ.
Suas Obras estão em:
101 Maneiras Para Sobreviver a um Caso de Amor
e Eu Preciso Dizer o Quanto Te Amei
http://www.amazon.com/Preciso-dizer-sempre-amei-Portuguese-ebook/dp/B00J7Y5W1C/ref=sr_1_fkmr0_1?s=books&ie=UTF8&qid=1395704405&sr=1-1-fkmr0&keywords=m%C3%B4nica+raouf+el+bayeh
E suas poesias estão em:

http://poesiatodaprosa.blogspot.com.br