sábado, 17 de outubro de 2015


#SerieBrasilidade:

Cartas Marcadas

De Um Jogo Sujo!


“...Muitas pessoas são bastante educadas para

não falar com a boca cheia, porém não se

preocupam em fazê-lo com a cabeça oca...!”

 

 Orson Welles

 

Leio nas manchetes que o governo virou o jogo e começa a derrubar quem queria derrubá-lo. O Brasil virou um tabuleiro de War, vou pedir para jogar com as peças amarelas, minhas favoritas – que digo? Povo não joga, no país da ilusão.  Vivemos em uma ditadura nada disfarçada, em que nada funciona como deveria, ao contrário do que teimam em apregoar os telejornais e blogs aparelhados e políticos mais interessados em salvar a própria pele do que o povo, morrendo à míngua enquanto observa o jogo, pelo alambrado esburacado, já que o ingresso para a arquibancada custa caro demais.


Depois de uma semana de derrotas acachapantes, o governo federal perdeu qualquer resquício de pudor – se é que um dia o teve – ameaçou publicamente de prisão o enroladíssimo presidente da Câmara dos Deputados, caso se atrevesse a decidir a favor do impeachment, mostrando que nos governos petistas vale tudo mesmo, de “pedaladas fiscais” já condenadas pelo Tribunal de Contas da União a chantagem explícita e escancarada. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tão obsequioso em fornecer informações que emparedassem Eduardo Cunha e impedissem o impeachment, até agora nada fez em relação aos igualmente delatados senadores petistas Humberto Costa, Gleisi Hoffman e Lindberg Farias. Fica difícil acreditar em investigação isenta e não direcionada, se só atinge os que ameaçam o governo.


Sobre as recentes denúncias envolvendo Lulinha, o filho milagrosamente enriquecido do ex-presidente Lula, não se tem notícia de que o PPS tenha recebido de Janot a confirmação pedida sobre o repasse de dinheiro delatado por Fernando Baiano, nas investigações da Lava Jato. Desconheço se ele demorou o mesmo tempo para dar as informações pedidas pelo PT e pelo PC do B sobre Eduardo Cunha. Enquanto os detalhes da “Operação Salve-se a Todos” vazam para desmoralizar definitivamente um Eduardo Cunha já cambaleante, o ex-presidente Lula confessa, candidamente, que Dilma “fez pedaladas” para pagar Bolsa Família e mostra que não basta desprezar a Lei de Responsabilidade Fiscal e cometer crime de responsabilidade,  passível de impeachment segundo a Constituição Federal, é preciso demonstrar publicamente que isso não tem a menor importância, porque somos todos idiotas e a democracia já era.


Seguindo a mesma linha do deboche total para com a opinião pública, Dilma Rousseff, em recinto fechado, falando para simpatizantes e petistas, na abertura do 12º Congresso da CUT, na noite de 13/10, chegou ao delírio, textualmente: ““ Quem tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa suficientes para atacar a minha honra?”. O Brasil inteiro tem Dilma, ou pelo menos os 90% que reprovam seu modo de governar, suas mentiras, a desonestidade intelectual com que você e Lula tratam daquebradeira que tomou conta do país.  Os mesmos que pagam com seus impostossuados pelos seus desacertos, sua demagogia, pelos delírios de nova rica deslumbrada que exorbita nas diárias em hotéis de luxo no exterior, no compadrio dos mais de cem mil cargos na Esplanada. Moral ilibada para critica-la nós temos, falta é paciência para continuar a ouvi-la.


Não se engane não, o impeachment vai passar sim. Pode aparelhar o TCU, o STF,  o TSE, encurralar o Cunha, fazer o Diabo para se manter no Planalto – a senhora já está acostumada a isso -, mas não se aparelha o povo, sabe? 

As ruas se encherão de novo e os políticos acabarão fazendo a nossa vontade, como sempre, já dizia Ulysses Guimarães que por medo, que seja!


Os brasileiros não a suportam, o país cansou do PT e de Lula, renunciar seria um gesto de grandeza, mas grande, em ambos, parece que só a boca, assim sendo, vamos ao impeachment. Enquanto escrevo o Estadão avisa que a Fitch acaba de rebaixar o Brasil, embora mantenha seu grau de investimento. Só falta a Moody’s, entre as três maiores agências de classificação de risco, parabéns!

Dizem que a senhora gosta de ler, presidente Dilma, já leu A Engrenagem,  de Sartre? Deveria e bem rapidinho, está tudo lá.

Confira mais em:


 

 

 

Entendimentos & Compreensões

Cronista Beatriz Ramos

Brasília- DF –

Exclusivo para a Sala de Protheus

 

Obs.: Todas as obras publicadas na Sala de Protheus
são de inteira responsabilidade de seus autores.
O Editor!