domingo, 14 de julho de 2013

“Porque Nos Ofendem”?
- Greve dos Idiotizados -



“... Note-se que é preciso tratar bem os homens ou então aniquilá-los.
Eles se vingarão de pequenas injurias, mas não poderão
vingar-se de agressões graves; por isso só podemos injuriar
alguém se não temermos sua vingança...!”

Nicolló Maquiavelli


A semana que passou não se pode dizer que foi atípica, politicamente falando, mas foi no mínimo ofensiva ao bom senso. Àqueles que ainda pensam um pouco. Que necessitam daquele senso comum, que nos torna comunidade. Nos deixa um pouco mais civilizados, mesmo que ainda um pouco longe da verdadeira democracia.

Tenho uma amiga sábia a quem tenho o privilégio de chama-la de mestra, por suas convicções e por suas frases sempre bem colocadas quando o assunto é politica em nosso País.
Dia desses, mestra Marisa Cruz, “disse: “.. Máscaras derretidas, impostores ao vivo e em cores...!”
Tudo por ter comentado sobre a “falsa greve” organizada (não seria bem esse o termo) por centrais sindicais ou outros tipos que ainda se chamam  “entidades” em nosso país. Em um país civilizados elas não existiriam mais. Mas aqui, somos tão libertários que permitimos tudo. Até nos ofenderem.
Foi o que fizeram com a tal de “greve” da ultima semana.

Juntamente com outros 6 jornalistas de 4 estados combinamos de buscar informações o mais próximo que conseguíssemos e aproveitássemos as redes sociais para divulgar o que conseguíssemos. Confesso, não levei muita fé. Todos estes colegas estão desempregados, temia por suas integridades profissionais e suas éticas, as quais assino embaixo, e de suas dedicações a esta profissão que parece estar desaparecendo ou “comprada” de todas as formas em nosso país.

Assim organizamos sistemas para penetrarmos nessas greves. Utilizamos amigos de grandes empresas que pudessem nos ajudar até com dinheiro para disfarces, e passagens para ir até lugares onde não éramos conhecidos e não pudessem nos identificar.
Foi o que aconteceu. E descobriu-se:

Para entrar na tal de “greve” e segurar uma bandeira do tal de MST (que até hoje não sei o que significa) e partidozinhos com siglas tão insignificantes que sempre se juntam onde há ajuntamentos. Para isso homens ganhavam em dinheiro 30 reais. Mulheres 20 reais, crianças até 10 reais mais o almoço.

Tudo oque se precisava era fazer junções em pedágios, principalmente, em praças, em frente a prefeituras, câmaras de vereadores ou prédios públicos.
Vejam bem, estou falando do interior destes estados. Nas capitais já se sabe o que aconteceu.
E assim foram, muitos colegas com medo, recontrataram pessoas, e pagara de seu próprio bolso as despesas, o resto eles ganhariam dos tais de “capitãos” que ligavam por celular a toda hora para uma tal de central. Identificadas todas como São Paulo pelo código 011 e por ter um dígito a mais no celular o que não foi difícil perceber.

Uma empresa muito amiga, aceitou nosso desafio e designou funcionários, bem treinados, com cérebro, e se infiltraram em lugares principalmente praças de pedágios. E puderam comprovar tudo o que se disse durante a semana nas redes sociais.

Como a capital São Paulo onde ofereciam 50 reais, em plena rua para participar das tais de “manifestações”. Falsas, ofensivas, cruéis ao movimento natural efetuado em 17 de julho que vai ficar na história e vai movimentar outro para logo para ser o maior da história deste país. Porém não aceitaremos este tipo de “vermes” que “montaram” esta grevinha de aluguel paga para criar uma cortina de fumaça.
No sitio abaixo, ainda está uma gravação.

Muitas gravações foram enviados para Jornais que ainda nos consideramos sérios e duas revistas no Brasil. Alguns colegas com medo de represálias maiores, mandaram com pseudônimos para jornais estrangeiros principalmente Estados Unidos e Inglaterra, para que de lá,  veiculasse através de Redes Sociais. Estas são mais confiáveis que muitos veículos de comunicação de  nosso país, disse-me um colega do Mato Grosso.


A decepção e tristeza de muitos colegas os levaram as lágrimas, ao falarmos por telefone, e diziam que tinham “asco” de escreverem sobre isso. Como se os diminuíssem em suas profissões. Não acreditavam que vinham dinheiro de tais organizações ligadas a governos, em todas as esferas, para fazer isso.
Um episodio, protagonizado no RS:

Em uma praça de pedágio, manifestantes trancaram a passagem.
De um ônibus desceram 6 homens, posicionaram-se a frente, ao lado e na traseira no ônibus e fizeram o motorista, devagar ir furando a fila e eles com seus próprios cintos, amarrados às mãos, como defesa, iam pedindo para afastarem-se todos para o ônibus seguir: Chegaram a cancela, pagaram o pedágio do veículo, e seguiram fazendo a segurança até o veiculo se afastar, depois voltaram a entrar no ônibus sob a vaia dos tais “manifestantes”.
Depois dever isso um supervisor da praça ligou para a direção que decidiu liberar os pedágios.

Pronto, sumiram todos os tais de manifestantes.
Busco em Maquiavelli, novamente, sobre a ganância: “...O desejo de conquista é algo muito natural e comum; aqueles que obtêm êxito na conquista são sempre louvados, e jamais censurados; os que não têm condições de conquistar, mas querem fazê-lo a qualquer custo, cometem um erro que merece ser recriminado...!
E o que mais saiu depois disso transcrevo abaixo , apenas respeitando as fontes,
O Globo localizou diversos jovens que foram pagos durante a mobilização - oglobo.globo.com/pais/centrais-…

Destinação das contribuições pagas a essas quadrilhas.. Impressionado com a notícia da Folha - www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013…
Da mesma fonte:
Manifestantes “ganham” até 70 reais para ir ao ato sindical paulista. Com camisetas da UGT (união geral dos Trabalhadores), espera-se na fila e ainda ganhavam um recibo.
De toda minha indignação, resta-me parafrasear meu pensador maior:

“ (...) não queremos apenas ser compreendidos (...), mas igualmente não ser compreendidos. De forma alguma constitui objeção a u livro ou o fato de alguma pessoa acha-lo incompreensível: talvez isso estivesse justamente na intenção do autor – ele não queria ser compreendido por “uma pessoa”. Todo espirito e gosto mais nobre, quando deseja comunicar-se, escolhe também os seus ouvintes; ao escolhê-los traça de igual modo a sua barreira contra “os outros” (...)  - Friedrich Nietzsche – A Gaia Ciência – Af.381).


Pensar Não Dói.. Mas não ofendam nossa inteligência.

Por Favor!


Tentativas de Entendimentos & Compreensões de um Mundo Louco.
Pensamentos & Leituras da Madrugada.