segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Celebrando a Vida!

#Literatura;

Celebrando a Vida!

Cada um dá o que tem.

Uns dão carinho, amor ou desdém
Fazer o bem sem olhar a quem
Poucos, quase ninguém.



Marinilce Schmitz


Estou em uma palestra. Na mesma fileira, à esquerda, duas cadeiras depois está minha amiga de alma e irmã literária Marinilce.

Enquanto a palestra continua, chama-me a atenção Marinilce, com um caderno espiral grande, anotando sem parar. Primeiro pensei estar ela interessadíssima no assunto.
Somente depois, no intervalo, ela me mostra.
Somente naquele momento tinha escrito três poemas.
Não que a palestra não fosse interessante. Não é isso. Mas a transpiração de Marinilce parecia verter naquele ambiente.
Fiquei feliz. Há conheço profundamente desde os anos 90 quando fizemos um trabalho profissional juntos. E lá descobri que esta mulher tinha o mesmo “vício” que o meu: Leitura sem parar.
Conversávamos sempre sobre nossos hábitos de ler até 6 livros em um mês. Mesmo sendo ambos, também, viciados em trabalho.... Ao menos àquela época.
Após ver o caderno, saiu-me automaticamente: “.... Vou esperar o livro.! ”. E terminamos nosso encontro
A surpresa veio no final do ano, recém terminado, mais precisamente em novembro.
Um convite gentilíssimo para o lançamento de “Celebre a Vida”.
Pronto lá estava a primeira coletânea de Marinilce reunida em uma obra primorosa, com uma foto digitalizada e trabalhada, brilhantemente por Welington Weimann, em uma edição da editora Jana Lauxen, da Editora osdezmelhores. 
Primorosamente poética.
Visita-me presenteando-me com tal obra, relembrando, o que disse em epígrafe e me chama a atenção para a página 85; lá está o poema “Cada Um”, que coloquei em destaque no início.

Diz mais neste poema a poetisa Marinilce:

E neste vai ou quase não vem

O mundo se torna um caos para quem convém
Mudar de atitude faz bem
Como chorar para aliviar

Deixa escrito mais Marinilce:

Como brigar para se defender

Lutar para defender alguém
Gritar para ser ouvido
Calar e respeitar e não ir além.

Assim as páginas vão se sucedendo em transpiração poética, vívidas e vividas por Marinilce. Que apenas transpirou o que lhe vai ao coração. A inspiração, tenho certeza, foi divina.

E tem mais, a metade das vendas da obra são beneficentes.
Não esperaria nada diferente desta executiva, empresária, mãe e mulher com sorriso largo embaixo de seus olhos azuis.
Assim como a foto de capa, a autora nasceu em meio ao concreto bruto e dele fez brotar beleza e transparência humana perfeita.
Na contracapa a editora Jana deixa registrado:
Celebrar a vida é a maneira amis eficiente de lutar contra a dor e o concreto, que nos ordenam menosprezar, maltratar, abandonar a vida. E Marinilce divide com seus leitores os caminhos bonitos e tortuosos que percorreu até aprender que, da dor e do concreto, ao invés de amargura e argamassa, pode sair poesia,
Corretíssima a Editora. Perfeita descrição da autora e de sua obra.
Foi um final de ano feliz, em meio a “este feio concreto político”, surge a flor da poesia e a estreia desta nova poetisa gaúcha.
Nova apenas, para o setor literário. A poetisa, tenho certeza, já “habitava” dentro dela.
Parabéns poetisa Marinilce. Belíssima obra.
Pensar não dói.... Poetizar tão bem.... Faz-nos mais bem ainda!
Bem-vinda poetisa....


Entendimentos & Compreensões

Da obra Celebre a Vida
Marinilce Schmitz – RS
Editora – osdezmelhores –
Outubro/2016
Postado originalmente no grupo Kasal – 
Konvenios – Vitória – ES
http://www.konvenios.com.br/info/verArtigo.aspx?a-id=28449
Arquivos da Sala de Protheus