domingo, 20 de dezembro de 2015


#PensarNaoDoi: 

 A Influência da Palavra!
 
“... Palavras são janelas ou são paredes.
Elas nos condenam ou nos libertam...!”

R. Berbemeyer

 
Tem surgido uma nova concepção, bastante subjetiva, aos brasileses que votaram no partido ou nomes ligados ao partido que está no governo federal. Antes eram, subjetivamente, tachados de “burros” – nada a ver com o quadrúpede ruminante e sim com a ignorância do ato exercido sem discernimento -.
Agora há um o novo objetivo a estes brasileses que, em sua maioria, estão arrependidos: Eles são “tachados” de idiotas.


 
 Idiota significa tolo, pateta. Do grego "idiótes" que significa "pessoa leiga, sem habilidade profissional", por oposição àqueles que desenvolviam algum trabalho especializado. Na acepção original, idiota designava literalmente o cidadão privado, alguém que se dedicava apenas aos assuntos particulares em oposição ao cidadão que ocupava algum cargo público ou participava dos assuntos de ordem pública. Muito diferente, é claro, do que compreendemos e temos hoje.
O termo evoluiu de forma depreciativa para caracterizar uma pessoa ignorante, simples, sem educação. Popularmente, um idiota é um indivíduo tolo, imbecil, desprovido de inteligência e de bom senso. Idiotice é o produto daquele que é idiota.
O que é claro continua não explicando seus atos em um passado próximo.
Veja bem o que disse acima:
“... Não explica os atos em um passado próximo!”. Pense brasilês que votou mal e para os maus...
Nos estudos de marketing, até o início dos anos oitenta era proibido as propagandas “subliminares”. Ou seja:
Mensagem subliminar é uma
pseudociência e teoria de conspiração, que afirma que é uma imagem projetada numa velocidade maior que o olho podia captar, ou oculta num quadro, não será vista conscientemente, mas atingiam diretamente o subconsciente, podendo influenciar as pessoas. A teoria foi lançada em 1957, quando o publicitário James Vicary anunciou a criação da sua empresa, a Subliminal Projection Company, na qual era vice-presidente. Para provar a eficiência da propaganda subliminar, Vicary divulgou o resultado do experimento que teria conduzido num cinema de New Jersey. Ao inserir as frases "Drink Coke" e "Eat Popcorn" durante a projeção do filme (em noites alternadas) ele teria aumentado em 57,7% as vendas de pipoca e em 18,1% as vendas de Coca-Cola às portas de saída do cinema.
Hoje comprovada cientificamente.
 Ou seja, repito: algumas palavras, em meio a textos, imagens, documentários ou propagandas e é captado pela mente humana.
Na televisão, principalmente, um ator segurando um perfume, ou então uma bebida com a marca aparecendo e voltada para a visão do telespectador, ou ainda dirigindo um carro e que ao estacionar aparece bem a marca do veículo, são considerados os comerciais mais caros, os espaços mais disputados pelos anunciantes. Pois a marca associada ao ator ou personagem ficará gravada na mente de quem assistiu.
Por exemplo: se eu perguntasse agora para você responder em 3 segundos a sua marca preferida de carro. A resposta já esta em sua mente e assim sucessivamente.


E isto causa uma Influência gigantesca na mente humana. Todo o socialismo desde o nazismo (em que a propaganda foi uma das maiores “armas” utilizadas) pratica esta ação. Logo fica tão gravado que as pessoas fazem automaticamente o que lhes foi sugerido
“Influência” é o fato de que um objeto, fenômeno, animal ou pessoa tem em seu ambiente imediato e que altera este comportamento normal quando o agente esta ausente. É uma palavra derivada do verbo latino particípio ativo “Influere” , influens, entis. Deve ser propriamente dito “Influência” de Influxo, Latina (ação ou efeito de influenciar).
Influência veio e ficou através e foi derivado de influência francesa (o mesmo que mesclar, tomou o lugar de “derretido” por origem de “fusão”). Outro derivado é influente ou influência exercida Influência. Por exemplo: o verbo “fluir” é igual ao que é jogada através de um duto ou de acordo com certas normas impostas por forasteiros, desconhecidos.
Se buscarmos uma explicação lógica para o que está ocorrendo no Brasil, eis algumas. E todas elas derivadas da ausência de educação mais aprofundada e de uma cultura mais enraizada. Desta forma como os princípios básicos de educação passam por entendimento, compreensão e discernimento, logo estes fatores, inexistentes na grande maioria dos eleitores no país ficam mais suscetíveis a influências e subliminariedade.


Assim podemos afirmar que a grande maioria que votou em alguém não foi de mérito consciente e sim inconsciente devido a esta desinformação.
Outro detalhe que falta a análise mais profunda no Brasil, é que somente cerca de 5 por cento dos deputados da Câmara Federal, foram realmente eleitos, o restante foi pelo voto de legenda que a maioria dos eleitores não sabem o que significa.
Segundo o Tribunal Eleitoral o voto de legenda é Voto dado somente ao partido, sem indicação de candidato. A possibilidade do voto de legenda, no Brasil, surgiu a partir de 1930, quando da introdução do modelo proporcional.
Assim, o eleitor não manifesta sua vontade, por um candidato específico, mas por qualquer dos candidatos do partido em que tenha votado. Ao optar pelo voto no partido e não no candidato, seu voto é considerado válido, sendo contado para o cálculo do quociente eleitoral da mesma forma que os votos nominais.
Dessa forma, sua manifestação é no sentido de que a vaga seja preenchida pelo partido no qual tenha votado, independentemente do candidato daquela legenda que venha a ocupá-la. Quer o eleitor que a vaga seja distribuída para o seu partido, mas não indica, em seu voto, qual a pessoa que deve ocupar a vaga que procura conquistar para ele.


Esse tipo de voto existe tão somente nas eleições proporcionais. Nas eleições majoritárias, pela inexistência de múltiplos candidatos de um mesmo partido, o voto na legenda é, necessariamente, voto nominal.
O voto de legenda traduz a aceitação, pelo votante, da ordenação dos candidatos elaborada pelos outros eleitores.
Isto explica o atual Congresso Nacional. Dos que estão lá apenas 5% foram eleitos diretamente.
Entendeu agora?
São estes detalhes, este subliminar que influenciam diretamente toda uma administração e os resultados obtidos, ou não, por essa.
Agora cabe a você fazer um exame de consciência.
Afinal, pensar não dói...



Entendimentos & Compreensões
Fontes:
Origem e Etimologia Linguística
Diversos autores.
Tribunal Superior Eleitoral.
Arquivos da Sala de Protheus