quinta-feira, 17 de dezembro de 2015


#NatalCultural:


 As Obras de Mônica!


"...Vou pular amores partidos
Toda amarga lembrança
Deixo espaço pro novo
Já com cheiro de esperança!"

 

 Da poesia Cheiro de Esperança de dezembro de 2015
Mônica Bayeh – Rio de Janeiro - RJ

 

Poesias divinamente apaixonantes, como se você dissesse: - Puxa, até parece que a Mônica escreveu para mim? Exatamente. Eis o estilo “confessionalismo”, típico de Mônica, que não víamos, na literatura brasilesa, desde o início do século passado, quando começou o chamado período moderno da literatura no Brasil com os irmãos Andrade, Cassiano Ricardo, o Poetinha Mario Quintana entre outros. Se surgiu algum poeta neste sentido, logo depois, ficou esquecido.
Monica resgata este estilo de sua própria alma filtrada por seu coração gigante. E entremeios poéticos geniais, estão crônicas que parecem, também, foram escritas como se tivéssemos passado por aqueles momentos.
Agora estas obras, aliás, um excelente presente de Final de Ano, estão a disposição, para todo o Mundo, - no final as formas de aquisição.
Estas novas edições vieram com roupagem nova. Sim com capas novas, chamando ainda mais a atenção para cada fantástico tempo registrado por esta genial poetisa e escritora carioca.


Esta obra praticamente é um resumo da própria autora, quando ela diz:
Em minhas janelas, poemas. Estrelas de brilho lindo. Uma noite de lua cheia. Esperanças de todo tamanho. Uma caixa de lembranças. Amores, amigos, saudades. Medalhas, dias de luta. Fracassos e aprendizagem. Se debruce, aproveite. Quem sabe a minha vista não cabe na sua?


O que toda mãe gostaria de deixar registrado está em Mãe – Trabalho Artesanal:
Não importa se você é homem ou mulher, quero saber uma coisa só: Você é mãe? Acha que essa pergunta é no mínimo inusitada? Olha, pode ser que não... Compre o livro, faça o teste. Depois a gente conversa.


Renée Descartes ou Decartes, como preferem alguns bibliógrafos, é quase um desafio ao pensamento do famoso filósofo. Nele, Mônica diz:
Você é inseguro? Pensa e já não tem certeza? Sofre com decisões? Tem ciúmes? Já sofreu por amor? Então somos iguais! Penso, logo existo? Já nem sei mais. Descartes que me desculpe. Eu só sei que nada sei. Esse livro é um desabafo em forma de textos e poemas. Afinal dúvidas, vitórias, fracassos, amores, parcerias e amizades são nossas. Tão nossas. Dores e alegrias que nos recheiam a vida.


Nesta obra a homenagem da autora à seu pai. Novamente vem palavras que todos nós gostaríamos de deixar registrado:
Eu preciso dizer que sempre te amei
Para consumo externo o pai era perfeito. Divertido, animado, boa companhia. Único. Pessoa de fácil manutenção. Básico. Recomendação única: não tocasse em assunto de dinheiro. Cobranças, limites, contas. Esses assuntos não eram bem recebidos. Outro problema mais grave: ele deu defeito na tecla pai. Onde foi que se perderam?
Desvendando a relação de um pai e sua filha afastados pela separação. Histórias de dor e alegria. De encontros e desencontros. Vale a leitura. Sempre é tempo de recomeçar.



101 Maneiras de Sobreviver a um Caso de Amor transformam-se em uma espécie de “manual moderno”, poetizado, para nossas desilusões amorosas ou “dor de cotovelo”. Aqui entra a maestria de Mônica, novamente:
Sua vida emocional tinha mais rotatividade que puteiro em dia de pagamento. Tudo começava bem. Encantavam-se mutuamente. Pelo menos parecia. Alguns até flores traziam. Tão gentis no início. Se tudo ia bem, como subitamente se desencantavam? Por quê?
Isso é o que vamos descobrir juntos. Mas, por enquanto, guarde a dica número um: e você tem um dedo podre, siga sempre na direção contrária à apontada.
Outras cem te aguardam no livro



Tem mais é a novidade. Um de seus últimos “filhos literários”, como gosta Mônica de se referir à suas obras. Neste Mônica deixa registrado:
Tem mais foi escrito apenas com palavras sem dificuldades tipo lh, nh, rr, gu, qu. O que torna o aprendizado saboroso e uma animada diversão. E ajuda a formar um leitor voraz e feliz. 
Além de ser um livro onde sua criança pratica a leitura e exercita a criatividade. Tem Mais apresenta ainda uma peculiaridade que lhe faz especial. Ela é a ilustradora. Com direito a assinatura na capa.
Não é um livro para ser descartado, depois que essa fase passar. É um livro para toda a vida. O primeiro e único livro lembrança à venda no mercado.
 
Para adquirir as obras?
Fácil: Direto com a autora. Para os Cariocas mais fácil ainda, basta buscar na Tijuca. Sua obra de “maior valor monetário”, pois os outros valores são imensuráveis, é de apenas vinte e dois reais, postados nos correios. Até o dia 22 de dezembro. Depois somente em Janeiro.
Você fala diretamente com Mônica Bayef nestes endereços:
Através do Blog -
http://poesiatodaprosa.blogspot.com.br/ 
No Twitter: @monicabayeh
No Face
 Book - https://pt-br.facebook.com/monica.raoufelbayeh
ail em:
elbayehmonic@yahoo.com.br
Agora é com você:
Pensar não dói... E ler Mônica Bayeh também não. E faz um bem incrível.

Reserve o seu...

 

Entendimentos & Compreensões
Leituras & Pensamentos da Madrugada
Arquivos da Sala de Protheus