quinta-feira, 3 de julho de 2014


#Serie Pensar:

 “A Sociedade Consegue Mudar?”

"... De nada serve acreditar que algo está certo se isso não contribui para ajudar uma pessoa em aflição...!".
.Jostein Gaarder
 
                                                  Conversando com um amigo do Paraná, muito sábio e admirado, estes dias que mostra o inverno frio e chuvoso no sul, discorríamos sobre os acontecimentos no Brasil. De toda sorte sobre tudo... Mas principalmente sobre o individuo enquanto parte da sociedade e seu papel para que nos transformemos, definitivamente, em uma sociedade moderna, democrática, com valores que aprendemos na infância – em nosso caso -.
Brian Weiss, em uma de suas obras cita Albert Einstein assim:
O ser humano é parte de um todo que chamamos de universo, uma parte limitada no tempo e no espaço. A pessoa experimenta a si mesma, seus pensamentos e sensações como algo separado do restante - trata-se de uma espécie de ilusão de ótica de sua consciência. Essa ilusão nos aprisiona, limitando-nos a nossos desejos individuais e a sentirmos afeto apenas pelas pessoas mais próximas. Nossa tarefa deve ser libertar a nós mesmos dessa prisão, alargando nosso círculo de compaixão para podermos abarcar todos os seres viventes e a natureza inteira."
Mas o que queremos dizer com isso tudo?
Faço de meus aprendizados uma forma, sem a pretensão de ser exemplo, muito pelo contrário. Utilizo apenas como forma dos valores aprendidos com meus pais.
Diga-se de passagem, pobres com quase nenhum estudo. Mas com suas vivências adquiriram certa cultura. Esta vinda, por sua vez, de seus pais, ou ainda, de suas descendências europeias.
Meu pai era “grosseiramente” afirmativo:
Meus filhos: Vocês nunca podem ser: Ladrões, viciados (neste caso e à época em drogas como maconha e outros) e, principalmente, serem homens honrados e cavalheiros.
Mesmo em sua ignorância (ausência de estudo formal) ele tinha a o cavalheirismo com uma forma de gentileza para tudo. Principalmente no tocante às mulheres.
Com meu amigo paranaense tocamos nestes assuntos e ele me sai com uma pérola: Um verdadeiro aforismo moderno.
Disse-me ele:
- “A sociedade (Brasil) vai mudar quando se arrepender de seus “pecados” – erros -...!”.
 Aquilo me soou de uma profundidade de sua essência.
Mas aonde queremos chegar com todo este “discurso”.
Simples.
O Brasil está acordando. Sim. Tenho convicção disso acompanhando os últimos acontecimentos.
Com tantos “erros” para não utilizar outros adjetivos de nossas instituições (leia-se homens brasileses à sua frente) como Presidência, Justiça e Congresso Nacional – com isso repercutindo, nos mesmos poderes, nos Estados e  Munícipios e nossa imensa nação.
Um exemplo natural e considerado normal?
Com prazer.


                                       Quando cometemos um erro, seja ele do tipo e da dimensão que for, darmo-nos conta disso, sofrer conosco mesmo por isso, arrependermo-nos e com isso corrigirmo-nos e tentar, desta forma, auxiliar outros para que não “caiam” no mesmo erro, estaremos além de generosos sendo partícipes de uma grande família que chamamos de irmãos e sociedade.
Assim este arrependimento fica como exemplo para os que virão. Não como regra geral, é claro. Mas como inicio de pensamentos do que somos e o que queremos para o outro. Este outro que está próximo de nós e que precisamos dele.
Se adentrarmos no sistema político, vale lembrar que atualmente no mundo ocidental impera o Capitalismo.
É o melhor que existe?
Não sei. Sinceramente, não sei. Mas é o melhor que existe atualmente.
 
Socialismo?
Eis uma mentira pregada, defendida e tentada ser colocada e prática há mais de um século. E em todos os lugares em que foi tentado... Houve sofrimento geral.
Somente poucos se “locupletaram” como estamos assistindo e sentindo no Brasil atual.  Alguns com nenhuma sensibilidade dita “social”, literalmente, “enchem” seus bolsos e através e, exclusivamente, de mentira  enganam a todos.
A sociedade atual está quebrada?
Não. Mas está em uma fase que precisa ser repensada. E nosso amado povo brasilês está acordando... Está se informando... Está ficando inconformado com o que está vendo... Com o que está sentindo... Como seus filhos “não estão” sendo educados; nem na família e, muito menos, instruído nas que deveriam ser escolas.
Estas, por sua vez, estão funcionando mais como uma “indústria” de produção de massa, de “não conhecedores de coisa nenhuma” do que servindo de padrão de conhecimento adquirido. Triste isso, mas é verdade.
Mas aonde se quer chegar com isso tudo.
Simples!
A sociedade, de modo geral, como esta grande família brasilesa precisa pensar e entender que ela é que tem o poder e não as instituições.
Estas, as instituições, são apenas suas representações.
Se as instituições não estão funcionando, muda-se quem está em seu comando. Simples.
 
 
Nós, os cidadãos, temos o poder... Não elas.
Como bem diz o nome elas são apenas “representativas”.
E atualmente elas estão representando nossa pior parte... Nosso lado mau.
E não somos maus. Talvez passivos. Mas não maus.
A ganância é um “pecado” para as religiões. Todas elas.
Mas ela é a pior das atitudes do homem sobre o próprio homem.
Aquele que só quer ganância não tem sentimentos. Se não tem sentimentos é um psicopata.
Não podemos ter psicopatas em nossas instituições... Não podemos ter ladrões... Não podemos ter seres sem caráter... Sem valores... Sem dignidade natural.
E se não os temos, precisamos urgentemente mudar os homens e manter nossas instituições representativas.
Assim nos mantemos. Caso contrário corremos o risco de sermos extintos como sociedade, como família e como seres que herdamos maravilhas de nossos antepassados.
Eles deveriam ser o que somos. Não são.
Então está na hora de pensarmos em nós mesmos, para começar, em seguidinha em nossos filhos. Caso contrário ficará uma “amarga” herança da qual não se orgulharão nunca.
Vamos pensar juntos? Outubro está ai...
E em janeiro de 2015 começarmos a fiscalizar tudo... Desde o primeiro dia e não deixarmos mais acontecer o que ocorre atualmente em nosso amado Brasil.
Juntos somos fortes. Mas somente juntos.
Afinal pensar não dói...
 

Entendimentos & Compreensões
Dos diálogos com Ary Kara
Publicado em www.konvenios.com.br/articulistas
www.cadernodeeducacao.com.br
www.pintoresfamosos.com.br